quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021

16 maneiras de orar pelos missionários, por David Platt



David Platt 

- www.imb.org

Atos 13 e 14 comunicam uma das histórias mais importantes de toda a história das missões. Eles relatam o primeiro envio registrado de missionários por uma igreja local nas Escrituras. Paulo e Barnabé foram comissionados para sua tarefa específica em um culto de adoração, completo com canto, oração, jejum e imposição de mãos.

O Pastor John Piper  afirmou sobre esta passagem: “Este momento de oração e jejum resultou em um movimento missionário que tornaria o Cristianismo a religião dominante do Império Romano em dois séculos e meio e renderia 1,3 bilhão de adeptos da religião Cristã hoje, com um testemunho cristão em praticamente todos os países do mundo.”

As pessoas naquela sala em Antioquia estavam juntas por um motivo específico. Eles não eram todos iguais, mas se encontraram concordando em um propósito comum: eles estavam unidos pelo evangelho de Deus, fascinados pela adoração a Deus e intensamente focados na missão de Deus. Naquele momento, o Espírito chamou dois homens para serem enviados, e a igreja respondeu com obediência imediata. A sinergia entre o chamado do Espírito e a resposta de oração da igreja resultou em uma propagação sobrenatural do evangelho que continua até hoje.

 

O Espírito e a igreja enviaram Paulo e Barnabé - toda a igreja, não apenas algumas pessoas. A igreja demonstrou um compromisso em apoiar aqueles que enviaram, mesmo quando separados pelo tempo e distância. Essencialmente, a igreja disse aos missionários: “Estamos com vocês”. Notavelmente, a principal maneira de fazer isso foi por meio da oração com o poder do Espírito.

Hoje, nossas orações continuam sendo a melhor maneira de apoiar aqueles que enviamos, invocando o próprio poder de Deus para intervir de maneiras que estão além de nossas limitações humanas para salvar os perdidos. Então, eu gostaria de expor dezesseis maneiras que vejo nesta passagem das Escrituras para orar por nossos missionários continuamente.

1. Ore para que eles tenham confiança na Palavra de Deus  ( Atos 13: 4-5 ).

Os missionários são enviados não apenas para aprender cultura ou fazer ajuda humanitária, mas para proclamar com confiança a Palavra de Deus.

2. Ore para que eles sejam cheios do Espírito de Deus ( Atos 13: 6–9 ).

Os crentes já têm o Espírito Santo neles, mas às vezes o Espírito enche alguém de uma maneira especial para capacitá-lo a proclamar a Palavra de Deus.

3. Ore por sua vitória na guerra espiritual ( Atos 13: 10-12 ).

Quando nossos irmãos e irmãs levam o evangelho às nações, eles entram em guerra. O diabo está decidido a destruir almas e desviar a missão.

4. Ore por seu sucesso no testemunho do evangelho ( Atos 13:12 ). 

Ore para que muitos venham a conhecer a Cristo em todas as esferas da vida a partir do testemunho fiel de nossos missionários.

5. Ore por paz com outros crentes ( Atos 13:13 ).

Satanás ataca de todos os ângulos, tanto internos quanto externos. Ore pela paz nas famílias, no casamento, com os filhos e com companheiros e parceiros de ministério.

6. Ore pedindo oportunidades entre aos incrédulos ( Atos 13: 14-15 ).

Os descrentes estão cegos para o evangelho e muitos se opõem violentamente à sua mensagem. Ore para que os missionários encontrem oportunidades favoráveis ​​de compartilhar o evangelho com eles.

7. Ore para que o evangelho seja claro por meio deles ( Atos 13: 16–47 ).

Embora a comunicação transcultural seja difícil, ore para que os missionários, pela graça, comuniquem claramente o caráter de Deus, a pecaminosidade do homem, a suficiência de Cristo, a necessidade da fé e a urgência da eternidade.

8. Ore para que Deus abra os corações ao seu redor ( Atos 13:48 ).

Só Deus atrai as pessoas para si. Ore para que ele abra corações e mentes para acreditar e ser atraído para a vida eterna com Cristo.

9. Ore por sua alegria em meio ao sofrimento ( Atos 14: 1–2 ).

Os missionários frequentemente enfrentam várias formas e níveis de sofrimento em seu trabalho. Ore para que experimentem a alegria da intimidade com Cristo em meio a tudo isso.

10. Ore por sua bondade em meio a calúnias ( Atos 14: 1–2 ).

Embora os missionários enfrentem sofrimento e dificuldade, ore para que o caráter de Cristo e o poder de seu Espírito os capacitem a responder com graça.

11. Ore para que um poder sobrenatural os acompanhe ( Atos 14: 3 ).

Ore para que os missionários falem a Palavra com ousadia e que um poder sobrenatural acompanhe sua proclamação.

12. Ore para que a humildade de Cristo os caracterize ( Atos 14: 4-18 ).

Ore para que os missionários superem a tentação de serem orgulhosos de seu trabalho pelo poder do Espírito.

13. Ore por paciência ( Atos 14: 8–18 ).

Os missionários enfrentam altos e baixos e vitórias e perdas em seu trabalho. Ore para que eles respondam com longanimidade.

14. Ore por sua perseverança ( Atos 14: 19–20 ).

Em 2 Coríntios 4: 8–9, Paulo escreveu: “Nós somos... abatidos, mas não destruídos.” Ore para que os missionários perseverem em contratempo após contratempo, espancamento após espancamento e luta após luta.

15. Ore para que Deus os use para fazer discípulos ( Atos 14: 21–23 ).

Ore para que os missionários vejam frutos em seus ministérios ao procurarem fazer discípulos entre as nações.

16. Ore para que Deus os use para multiplicar igrejas ( Atos 14: 24–28 ).

Ore pela multiplicação de igrejas cheias de pessoas que conhecem a Palavra lideradas por pastores que ensinam a Palavra.

Nós sabemos disso: unir-se a Deus em sua missão não será fácil, mas com certeza valerá a pena. Vamos enviar todos aqueles a quem Deus chamou com o apoio fiel em oração.

 
 

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2021

MODELO DE SETE FASES NA PLANTAÇÃO DE IGREJAS

 


MODELO DE SETE FASES NA PLANTAÇÃO DE IGREJAS - Sistematizado por missionários da Frontiers, Dick Scoggins e Jim Rockford (levemente adaptado do livro Descobrindo o Mundo do Islã, pp. 426-430)

 

O foco na plantação de igrejas como atividade precípua dos missionários frequentemente se perde porque muitas igrejas não têm uma visão clara do que seja de fato uma plantação de igreja. Às vezes, pensamos que bastam apenas o trabalho num ponto de pregação, a ministração de necessidades em comunidades carentes, a mera realização de cultos ou a comunhão em células e grupos de afinidade. Bons modelos de plantação de igrejas guiam missionários num plano de atividades que intencionam a formação de novas igrejas que se reproduzem.

 

Um de tais planos práticos é o denominado Modelo das Sete Fases, que orienta as atividades essenciais de missionários da agência Frontiers. É claro, como o nome diz, é um modelo, um padrão, não algo que serve como um guia mecânico ou mágico que "faz as coisas funcionarem". Pode ser moldado conforme o contexto de diversos campos, embora tenha sido concebido originalmente para o trabalho transcultural entre povos muçulmanos.

 

Conforme escreveu Jim Rockford (p. 422), "cremos na necessidade do estabelecimento de estágios definidos. O bom senso nos diz que, antes que possamos ter uma igreja, sem dúvida é preciso que se forme um ajuntamento de cristãos que pode não apresentar as características neo-testamentárias mínimas de 'igreja'. Antes disso, pelo menos uma pessoa do grupo-alvo veio a Cristo e nós a discipulamos. Isso presume que nós evangelizamos. Por tudo isso, não é nenhuma surpresa que esses estágios básicos (com variações) apareçam em todas as circunstâncias que envolvem as plantações de igrejas realizadas por Paulo".

 

FASE 1: LANÇANDO A EQUIPE

 

Definição: Preparação da equipe. Formular planos e estratégias de plantação de igreja.

 

Quando deve começar: O coordenador da equipe é selecionado ou designado.

 

Atividades:

1. Obter as melhores informações disponíveis sobre idioma, história, cultura do país e grupo-alvo.

2. Preparar uma declaração da visão.

3. Desenvolver um memorando de entendimento.

4. Recrutar a equipe.

5. Ajudar cada membro da equipe a conseguir suporte de oração e sustento financeiro.

6. Preparar um documento que resume a estratégia.

7. Garantir que a equipe abrace a visão e a estratégia da plantação da igreja.

 

FASE 2: PREPARANDO A SEMEADURA

 

Definição: Aprendizado do idioma e ajuste à cultura. O alvo é tornar-se "parte" da sociedade local.

 

Quando deve começar: A maior parte da equipe já está no local.

 

Atividades:

1. Chegar e localizar moradias adequadas.

2. Resolver conflitos que surgem nas famílias da equipe.

3. Desenvolver uma vida de equipe que sustente espiritualmente os membros.

4. Planejar e estabelecer alvos para a equipe.

5. Trabalhar arduamente para aprender o idioma alvo.

6. Estabelecer um programa de aprendizado de idioma e um método de prestação de contas.

7. Aprender como sobreviver na localidade, sentir-se à vontade e desfrutar a vida no país.

8. Desenvolver múltiplos relacionamentos com as pessoas-alvo.

9. Ajudar os membros das famílias (esposas e crianças) a desenvolverem relacionamentos com as pessoas-alvo.

10. Introduzir elementos da redenção nesses relacionamentos.

11. Descobrir e reunir todas as ferramentas evangelísticas disponíveis no idioma-alvo.

 

FASE 3: SEMEANDO

 

Definição: A obra de evangelização

 

Quando deve começar: A maioria dos membros da equipe está investindo a maior parte do seu tempo de ministério em evangelismo (em vez do aprendizado do idioma).

 

Atividades:

1. Memorizar partes da Bíblia (parábolas ou milagres e coisas semelhantes) no idioma-alvo.

2. Aprender a compartilhar verdades bíblicas no novo idioma.

3. Desenvolver interesse pelo Evangelho em seus amigos.

4. Desenvolver uma estratégia para alcançar pessoas receptivas e seus parentes e amigos mais próximos.

5. Começar estudos bíblicos evangelísticos. Encorajar os contatos a trazer alguns parentes interessados.

6. Avaliar em oração os relacionamentos visando um possível "homem de paz." - um homem de influência no círculo maior da família ou na comunidade.

7. Levar alguém a se comprometer em seguir a Jesus.

 

FASE 4: COMEÇANDO O DISCIPULADO

 

Definição: Discipular um ou mais cristãos do grupo-alvo.

 

Quando deve começar: Depois que a pessoa do grupo-alvo vier a Cristo.

 

Atividades:

1. Desafiar um ou mais novos cristãos (homem ou mulher de paz, se possível) a serem discipulados por um membro da equipe.

2. Instruir o cristão sobre sua nova identidade como filho de Deus pela fé, e não pelas obras.

3. Ensinar o propósito do batismo como um símbolo visível da morte do eu e do renascimento em Cristo.

4. Ensinar histórias bíblicas que influenciarão a vida diária.

5. Ensiná-los a desenvolverem um hábito de recorrer à Bíblia para resolver problemas específicos.

6. Mostrar ao cristão como reconhecer o pecado na vida pessoal e tomar uma atitude de arrependimento, confissão e o desenvolvimento de novos padrões.

7. Desafiar o cristão a viver a vida de Cristo em meio a seus parentes (por exemplo: Mt 5-7).

8. Ajudá-los a desenvolverem padrões amorosos por seus cônjuges - resolvendo os conflitos, pedindo perdão e buscando a reconciliação.

9. Levá-los a compreenderem o lugar e a função do sofrimento na vida dos cristãos. Encorajá-los a reagir de maneira santa àqueles que são hostis à sua fé.

10. Treiná-los a estarem prontos a dar a razão de sua fé. A apresentação escolhida deve ser bem preparada e positiva sem ser combativa.

 

FASE 5: COMEÇANDO A IGREJA

 

Definição: Reunir cristãos do grupo-alvo e levar essa comunidade à maturidade para que ela se torne uma igreja.

 

Quando deve começar: quando houver três ou mais crentes, sendo, no mínimo, dois indivíduos pertencentes ao grupo-alvo.

 

Atividades:

1. Três ou mais cristãos concordam em seguir Cristo em uma comunidade compromissada.

2. Plantadores de igreja compartilham o plano de Deus para a formação de comunidades do Reino entre parentes e amigos.

3. Os cristãos abraçam a visão e, juntamente com os plantadores da igreja, escolhem um padrão culturalmente significativo para as reuniões.

4. A comunidade emergente aprende a reconhecer e maximizar os dons espirituais.

5. Os cristãos mais velhos demonstram uma compreensão dos versículos "uns aos outros" da Bíblia e como eles definem a comunidade cristã.

6. A comunidade se torna identificável, através de uma aliança de compromisso.

7. A comunidade celebra a Ceia do Senhor.

8. A comunidade se reúne regularmente para adoração, instrução e oração.

9. Os cristãos fazem o trabalho de evangelismo.

10. Os plantadores de igreja se retiram de quase todas as reuniões e se concentram em começar novas comunidades de cristãos (Fase 4).

 

FASE 6: TREINANDO LÍDERES

 

Definição: Desenvolver uma pluralidade de crentes que possam em breve assumir o cargo de anciãos.

 

Quando deve começar: Pelo menos um crente dá mostras claras de ser um "ancião em desenvolvimento", ao assumir cada vez mais responsabilidades de liderança e ensino. Tais líderes surgem quando os cristãos mais velhos estão batizando e discipulando novos convertidos.

 

Atividades:

1. Os crentes mais velhos e maduros são treinados para assumir a liderança das reuniões da comunidade.

2. Assumem a responsabilidade pela instrução bíblica. Começam a atuar como pastores.

3. Os cristãos mais velhos presidem a Ceia do Senhor.

4. O crescimento na piedade nos lares dos cristãos estabelece o padrão para os outros.

5. O exercício dos dons é encorajado e são desenvolvidos para a edificação da comunidade.

6. A vontade do Senhor é discernida pelos líderes, ensinada à comunidade e praticada.

7. A comunidade está confrontando, exortando e reprovando os membros em pecado.

8. O lugar dos líderes na solução de conflitos e na pacificação da comunidade é ensinado e praticado.

9. Os anciãos emergentes são reconhecidos como liderança provisória.

10. Os líderes começam a treinar outros com potencial de serem novos líderes.

11. Os plantadores da igreja estão muitas vezes ausentes das reuniões da liderança.

12. Os anciãos são formalmente ordenados.

 

FASE 7: REPRODUZINDO E SAINDO

 

Definição: Promover a multiplicação da igreja, ao participar em projetos de plantação de igreja.

 

Quando deve começar: A autoridade e a responsabilidade de pastorear a igreja local repousam somente nas mãos de líderes nativos.

 

Atividades:

1. A comunidade recebe ensino intenso sobre comunidades que se multiplicam e abraça a visão de reprodução da igreja.

2. Os membros começam a procurar novos homens de paz em volta dos quais possam começar outra comunidade.

3. Um novo estudo bíblico é iniciado entre pessoas interessadas.

4. Os líderes começam a conectar-se com líderes emergentes do novo grupo, assumindo alguma responsabilidade pelo seu treinamento.

5. Os líderes reconhecem os novos líderes emergentes (anciãos provisórios) do segundo grupo.

6. Os líderes de duas comunidades começam a se encontrar regularmente. Os anciãos assumem mais responsabilidade de desenvolver líderes na nova comunidade.

7. Inicia-se a reunião regular da nova comunidade. As comunidades cuidam umas das outras e compartilham recursos.

8. Os anciãos impõem as mãos sobre os novos anciãos na nova comunidade.

9. Os plantadores de igreja raramente visitam as reuniões de liderança.

10. Novas igrejas são iniciadas sem plantadores de igreja que não sejam nativos.

11. A visão de plantar igrejas além da área local é desenvolvida. A visão inclui reconhecer, treinar e enviar plantadores de igreja nativos a outras cidades e países.

 

 

domingo, 24 de janeiro de 2021

Como desenvolver um coração voltado para os menos alcançados neste ano




Mallory Barks - MissioNexus

Inclinando-se sobre a mesa, meu amigo me olhou bem nos olhos e perguntou: "Como você se tornou tão apaixonado pelos menos alcançados?"

Eu soube então que teria uma noite sem dormir. 

Adoro perguntas que me fazem parar e pensar. Você sabe, o tipo que cutuca não apenas minhas ações, mas também meus motivos.

Por que me importo tanto com pessoas que nunca conheci? Por que é difícil manter minha boca fechada sobre os 3,2 bilhões de pessoas não alcançadas no mundo? Nem sempre foi assim, então o que me trouxe aqui?

Enquanto refletia sobre a pergunta de meu amigo, eis o que descobri.

1. Minha paixão pelos menos alcançados é impulsionada por meu relacionamento com Deus e Sua Palavra.

De Gênesis a Apocalipse, vemos Deus valorizando Sua glória acima de tudo e trabalhando para tornar Seu nome conhecido por meio de eventos específicos no tempo. Ele abençoou Israel para ser uma bênção. Ele ungiu reis, enviou profetas e realizou milagres. Ele ordenou a Seu povo que orasse para que Ele enviasse trabalhadores e enviou o Espírito Santo para capacitar essa mesma obra. Tudo isso para que fosse conhecido entre todas as nações.

Se o coração de Deus deve ser adorado entre todas as pessoas, e se meu coração está diretamente conectado ao dele, como pode sua paixão não ser minha paixão?

Ideias para alinhar seu coração com o coração de Deus:

Leia a Bíblia inteira em 2021 e mantenha um diário de todas as referências bíblicas sobre a paixão e o plano de Deus para as nações.

Faça um curso de Perspectivas.

Defina um alarme para 10:02 todos os dias para orar ao Senhor da Colheita para enviar trabalhadores. (Ver Lucas 10:2.)

2. Minha paixão pelos menos alcançados é impulsionada pela intencionalidade.

Uma coisa é conhecer o amor de Deus pelas pessoas intelectualmente, e outra é experimentá-lo no rosto das pessoas que Ele criou. Testemunhar a ação de Deus entre os menos alcançados - tanto pelos meus próprios olhos quanto pelos olhos dos outros - alimenta minha paixão por fazer parte do que Ele está fazendo. Mas isso não acontece naturalmente; tem que ser perseguido deliberadamente.

Ideias para tornar os menos alcançados uma prioridade:

Reúna-se com os missionários que estão em casa de licença ou conecte-se com os que estão no campo.

Leia biografias missionárias. AQUI está uma lista de biografias publicadas em língua portuguesa.

Construa relacionamentos interculturais ao conhecer pessoas de outras culturas em sua própria comunidade.

Faça uma viagem ou missão de curto prazo para ver a obra que Deus está fazendo em um país menos alcançado.


domingo, 17 de janeiro de 2021

A Cadeia Alcoólica - Frases, Poemas e Reflexões e sobre o alcoolismo em e-book gratuito

O álcool é o que podemos chamar de droga “lícita”. Sua aceitação pela sociedade é disseminada, em muitas, mas não em todas as culturas. No entanto, apesar de sua tolerância social, ele é uma poderosíssima droga psicotrópica com poder de causar dependência e alteração de comportamento. A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma que não há nível seguro de consumo de álcool. Fígado, coração, estômago e vasos sanguíneos são diretamente afetados e prejudicados pelo seu consumo excessivo.

Flagelo que não escolhe idade, gênero ou classe social, a armadilha representada pelo álcool, ao contrário do que muitos pensam, não aprisiona apenas os alcoólatras inveterados: Uma primeira ou única embriaguez pode causar brigas e a destruição de um relacionamento ou mesmo de vidas; um exagero durante a festa de formatura pode redundar num acidente grave por dirigir embriagado... E assim por diante.

O problema do álcool é muitas vezes socializado ou repartido com os demais: família, amigos, vizinhos, companheiros de trabalho e desconhecidos acabam afetados de alguma maneira pela rede de consequências ou a “cadeia” alcoólica. Sim, pois este fenômeno não configura apenas um cárcere ou prisão particular, mas uma rede, corrente ou cadeia que afeta a toda a sociedade – daí o título desta pequena obra.

O objetivo do que aqui vai exposto não é demonizar o álcool, mas apenas alertar para seus muitos riscos e para o preço caro que ele costuma cobrar – riscos e preço infelizmente cada vez mais relativizados.

Aqui estão reunidas 100 frases sobre o álcool e sua problemática, bem como alguns pequenos textos em alusão ao tema – artigos, ilustrações e histórias. E, concluindo a seleta, poemas diversos sobre o alcoolismo.

Que esta humilde coletânea forneça argumentos e esclarecimentos para sua reflexão, de sua família e grupo de amigos, e seja útil para ajudar seja na prevenção, seja na libertação deste problema que afeta a tantas vidas. 


PARA BAIXAR O LIVRO PELO GOOGLE DRIVE, CLIQUE AQUI.


quarta-feira, 6 de janeiro de 2021

Retrospectiva Editorial 2020 - (Re)veja e baixe os livros e recursos que publicamos

 


Olá meus amados leitores e leitoras. Como já é tradicional desde 2012 (com um e outro hiato), a cada final de ano costumo fazer uma "retrospectiva editorial", na qual elenco as publicações e projetos realizados durante o ano.

É uma forma de manter um memorial do trabalho (duro, acredite. Quanto ao solitário, isso não é bem um problema) realizado, e divulgar aos leitores materiais que eles possam ter 'perdido'. Vamos lá?

Atenção: Clicando sobre os títulos você será remetido diretamente ao arquivo para download, ou à visualização do material/texto em questão.

Ilustrações Missionárias – 777 Ilustrações sobre mordomia cristã e as obras de evangelização e missõesIlustrações de incentivo ao serviço dos santos: Em torno deste eixo principal se desenvolve esta seleta cujo trabalho se iniciou ainda em 2019 ou mesmo antes, e que, em suas quase 500 páginas, reúne uma imensidão de textos edificantes e úteis. Foi publicada em fins de janeiro.



Em abril meio que inovei ao preparar um jogo virtual de quiz (perguntas e respostas) bastante divertido, instrutivo, e que me deu também muito trabalho. O Quiz Missionário História de Missões (clique no título e jogue agora!) foi disponibilizado na plataforma Kahoot!, reunindo nada menos que cinquenta questões sobre a história do movimento missionário brasileiro e mundial. Algum tempo depois, aproveitei o material redigido para o quiz e preparei mais uma edição (a sétima) da revista Passatempos Missionáriostrazendo (ou democratizando) o recurso para o nível do impresso.


Coleção 100 Frases é uma coleção especialíssima formada por e-books breves, cujo formato é otimizado para a leitura por celular, e que compila a cada volume 100 frases de grandes nomes do cristianismo. Cada livro conta, ao seu final, com um texto evangelístico - pois mais do que edificar e informar, este é o objetivo maior da coleção. Em 2020, a coleção (iniciada em 2018 com três volumes) ganhou mais quatro membros, em publicação sucessiva a partir de maio: Blaise PascalG. K. ChestertonAgostinho de Hipona e ainda o volume As 100 Mais Belas Frases sobre o Perdão. A coleção não se esgotou, e talvez em 2021 ela ganhe um ou dois novos volumes, embora eu evite este tipo de previsão.


Ao Anjo da Igreja, Declama: Poemas aos Pastores de DeusEsta pequenina seleta publicada em junho reúne poemas que falam sobre ele, o guardião dos rebanhos. A maioria dos textos, por sinal, foram escritos por pastores-poetas (como o foi Davi), outros por membros vários do Corpo de Cristo. Eles prestam-se à leitura particular e também a celebrações, tais como o Dia do Pastor, efeméride em que honramos aqueles que à honra fazem jus (Rm 13.7).


Separatas a Esmo - Em junho, ganhou vida uma nova publicação, composta de volumes pequeníssimos, até simplórios em seu minimalismo, tratando com insuspeita profundidade (ou, vá lá, alguma desavergonhada pop-superficialidade) de um tema específico a cada edição, repercutindo as vozes de celebrados ou desconhecidos interlocutores. Mais que um projeto, é uma desculpa editorial para as libertinagens de seu editor.  Os volumes publicados são: Para que serve a imprensa, afinal?, e Piadas e Anedotas Geográficas.


Poesia Evangélica em Literatura de Cordel – Uma antologiaMais que um simples estilo literário popular, o cordel é uma riqueza cultural ímpar de nossa nação. E digo nação e não apenas Nordeste, pois a sagacidade, a criatividade, a alegria e o humor do cordel têm atingido todas as regiões do Brasil, levado num primeiro momento pela mão de bravos migrantes, e depois ganhando vida própria em contextos e pelas mãos de atores não nordestinos.  Dentro desta perspectiva, finalmente veio à luz (em julho) esta antologia que eu estava 'devendo' já há alguns anos. O resultado foi fabuloso, com o livro contemplando grandes nomes e obtendo uma significativa repercussão.


Na Mesa Entre Irmãos – Receitas culinárias para uso emeventos missionários. Em algumas igrejas é comum a realização de feirinhas missionárias, com barraquinhas de comida cuja renda é revertida para missões. Outras igrejas realizam festivais de sorvete ou pizza, e almoços ou jantares missionários, apresentando por vezes comidas típicas de diversos países. Para auxiliar esses irmãos, aqui buscamos coligir 15 receitas típicas de diversos países “especiais”. Tomamos por base os respectivamente 15 países onde é maior a perseguição aos cristãos, conforme apurado anualmente pela Missão Portas Abertas (que lista os 50 países onde é maior a perseguição). O e-book foi publicado em outubro.

Assim como o livro abaixo (Frases de Lutero), este era um projeto antigo, que poderia ter saído em anos anteriores, mas foi colocado em outra posição na lista de prioridades. Neste ano, chegou finalmente a sua vez. 


365 Frases de Martinho Lutero + As 95 Teses. Este breve e-book, em sua humildade, simplicidade e gratuidade, veio somar-se (em outubro) ao volume de realizações em comemoração ao 503º aniversário da Reforma Protestante. E proporcionar a todos um singelo aprofundamento no pensamento daquele que, apoiado nos ombros de gigantes, verdadeiramente deflagrou a Reforma ensaiada por muitos, dos quais diversos pagaram a ousadia com sua própria vida. 


Celebrando as Escrituras - Uma coletânea de recursos paravivermos e celebrarmos a Bíblia Sagrada. Este livro gratuito é um verdadeiro baú de recursos para melhor pensarmos, vivermos e celebrarmos as Sagradas Escrituras. Reunimos aqui poemas, frases, peças teatrais e jograis, dinâmicas, esboços de pregações/estudos bíblicos, e ainda diversos planos de leitura para ajudar a você e sua família, igreja e comunidade na jornada por uma leitura e uma vivência proveitosas da Palavra de Deus.

Este último livro do ano (publicado em fins de novembro) foi também o maior, e não apenas de 2020, mas a maior antologia (510 páginas) que já organizei até aqui.


PRODUÇÃO AUTORAL

Neste ano em que todos fomos surpreendidos e golpeados, em maior ou menor grau, pela pandemia, me vi na condição de trabalhador em home office. O processo, por um lado, foi desgastante, mas a possibilidade de economizar tempo, principalmente na locomoção aos locais de trabalho, me ajudou a produzir mais, e também a dedicar-me a algo que fazia tempo não dava atenção: Minha própria produção literária. Explico: Neste ano voltei a me corresponder com editores e publicações literárias as mais variadas. O resultado foi bastante positivo, tendo textos publicados em diversos periódicos e sites.


No Jornal Daki, um jornal emergente justamente daqui de São Gonçalo (saiba: somos o 16º mais populoso município pátrio), dei prosseguimento no trabalho em minha coluna, veiculando artigos, crônicas e contos. Iniciei como colunista em fins de 2019, a convite do editor, o combativo Helcio Albano, a quem agradeço a confiança e a oportunidade de falar para um público que me era um pouco alheio, qual seja, o meu próprio povo. E também por poder, mesmo que aos trancos e barrancos, exercitar a escrita regular, algo de que sempre me acreditei incapaz...


Falando em artigos, muito por experimentalismo resolvi me aventurar num mundo diferente: Escrevi alguns artigos/resenhas sobre jogos de videogame antigos, os chamados retrogames. Publicados em meu blog pessoal e de descontrações, o Azul Caudal, um deles acabou numa revista (impressa e virtual): Muito Além dos Videogames, editada pelo pastor e entusiasta retrogamer Luis Miguel Gianelli.


Alguns poemas que comporão meu novo livro acabaram publicados por aí. O poema Carta ao Café foi publicado no significativo Jornal RelevO, em sua edição de abril.

Outro veículo magnífico, a Revista D'Arte Londrina (# 08), publicou minha Carta ao Livro de Bolso.

O site Escrita Cafeína também nos honrou com a publicação dos poemas Carta à Árvore e... um outro texto de que agora não me recordo. 

A revista/fanzine Suplemento Acre (#19) publicou uma outra das cartas, desta vez a Carta ao Amigo.

O poema Retorno à Praia de Itaipu ou ao Monte Meru foi publicado numa revista acadêmica, a Ensaios de Geografia (v. 6, n.11), editada pela UFF (Universidade Federal Fluminense).

A crônica Cinemateca de Quarentena, uma ácida e diferenciada resenha de filmes (outro gênero em que fui me imiscuir, mas confesso que a contragosto), originalmente veiculada em minha coluna no Jornal Daki, foi publicada também pelo site Poeira Literária.

A revista Ligeiro Guarani (v. 03, n. 03) deu espaço a um conto breve e mais antigo, Sahhir, o Perscrutador, encontra-se com Deus (que já havia sido publicado antes na renomada revista Philos, se não me engano).

Revista LiteraLivre (v. 04, n. 21) também publicou um texto mais antigo (de que gosto muito) e já publicado na mesma e excelente revista Philos: A segunda vida de Gregor Samsa.

A revista Brasil Nikkei Bungaku (n# 64), focada em cultura nipo-brasileira, publicou meu conto A Solução Final, cuja trama transcorre no Japão de alguns dias no futuro.

Espero não ter me esquecido de ninguém. De toda forma, com todo esse intercâmbio relembrei meus inícios nas letras, já aos 17, 18 anos me correspondendo com revistas e fanzines, e logo me tornando também um fanzineiro. Foi neste meio que aprendi o ofício de editor, dentre tantas outras coisas.


E 2021?

Não gosto de fazer previsões editoriais: Ao longo dos anos, percebi que os caminhos sempre se bifurcam e tendem à outra direção do que o antes planejado. Este ano mesmo, acreditei que teria menos tempo e seriam muito poucos os livros, mas me enganei redonda - ou quadradamente.

De toda forma, muitas das grandes antologias cristãs que eu poderia conceber já foram, pela graça de Deus, trabalhadas e publicadas. São missões concluídas, flechas disparadas e cada qual seguirá seu caminho instrumental, em mãos que só Deus conhece. Assim, é provável que o número de GRANDES antologias de interesse especificamente cristão decaia ou entre num hiato - embora uma pequena antologia sobre o problema do alcoolismo deva sair já em janeiro. Há antologias menores em gestação, de interesse geral, poéticas e de frases, e nas quais trabalho sem nenhuma pressa. Não sei se alguma delas verá a luz ainda em 2021.

O principal em relação a 2021 será a minha retomada da publicação de livros autorais. Um livro de poemas quase todos inéditos, bem como um livro de crônicas de humor baseadas em minha movimentada infância (uma divertida e parcial autobiografia, digamos assim) estão praticamente prontos e serão publicados, espero que antes de meados do ano. Para além disso, planejo fazer novas (pequenas) impressões de meus livros Poemas da Guerra de Inverno (2012) e RODORISOS - Histórias hilariantes do dia-a-dia dos rodoviários (2017). São livros profundamente díspares, mas que obtiveram uma ótima aceitação e dos quais eu não possuo mais exemplares. 

Talvez algo mais se apresente, em termos autorais, ainda em 2021. Tudo está nas mãos do timoneiro de tudo, Jesus-o-Amigo. Sigamos em frente!

Encerro repetindo o trecho final da retrospectiva de 2019:

Rogo a você que nos ofereça o que sempre roguei desde o início: suas orações. São elas que nos mantém em pé e trabalhando. Ore por minha família: nossas vidas materiais e espirituais, ministério, profissão, e os novos projetos em serviço e para a edificação da Igreja, e pela conquista de almas.

Ao Senhor seja dada toda a glória.

Sammis Reachers

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...