sábado, 29 de março de 2014

FALANDO DE MISSÕES - Sete vídeos sobre o serviço missionário

Peniel e Mina
FALANDO DE MISSÕES

Pastor Peniel Nogueira Dourado

Preparamos sete vídeos onde falamos de alguns pontos do serviço missionário que julgamos ser de muita importância. Os vídeos são curtos e pensamos resumir ao máximo apenas para que você que deseja fazer a Obra de Deus no campo missionário, ou que já está no campo, posso ter uma breve orientação.
Mesmo sendo neto e filho de missionário continuamos crescendo no conhecimento e adquirindo experiência. Procuramos buscar experiências de outros missionário e os que estão em campos que não são a mesma realidade nossa.
Tudo começou quando fui convidado para falar de missões a um grupo de missionário aqui em Santa Cruz de la Sierra e um dos irmãos me deu a ideia de editar vídeos Falando de Missões. Tomamos a ideia e com as ferramentas que  temos começamos a editar os vídeos.
Para colher experiências de campos missionários diferentes entrei em contato com vários missionários
que conhecemos para colher informações. Para mim fazer este trabalho realmente foi uma benção.
Nosso desejo é que este trabalho seja uma ferramenta de instrução complementária e, e de alguma forma, edificação àqueles que estão envolvidos no serviço de missões.
.
.
FALANDO DE MISSÕES PARTE 01  -  Preparação do Missionário
Neste primeiro vídeo abordamos cinco pontos de extrema importância para aquele que deseja desenvolver o trabalho no campo missionário. O vídeo foi gravado na cidade de Santa Cruz de la Sierra – Bolívia.

FALANDO DE MISSÕES PARTE 02 
Continuamos dando dicas importantes ao serviço missionário. Muitas vezes parecem temas tão simples, mas são questões de conflitos no campo inibindo o desenvolvimento do serviço missionário. 

FALANDO DE MISSÕES PARTE 03 – Conceitos de Missão
Aqui mudamos o nosso cenário. O vídeo foi gravado na cidade de Corumbá, MS – Brasil. Aproveitamos nossa viagem a região para fazer a gravação e continuar com este trabalho.
Neste vídeo abordamos o conceito de missões.

FALANDO DE MISSÕES PARTE 04 – O “IDE” de Jesus Cristo
Missões está conectado ao “IDE” do Senhor Jesus. Quem quer fazer missões e não deseja sair do seu lugar, da sua zona de conforto não esta apto ao serviço.
O vídeo foi gravado à beira do rio Paraguai na cidade de Corumbá, MS – Brasil

FALANDO DE MISSÕES PARTE 05 – O missionário e a cosmovisão
Compreender que nem todos estão vendo o mundo como você é muito importante para o desenvolvimento do trabalho missionário. Neste vídeo falamos sobre compreender a visão do povo e do perigo do etnocentrismo.

FALANDO DE MISSÕES PARTE 06 
A vida econômica que o missionário têm pode fortemente influenciar no trabalho. Neste vídeo nós procuramos falar dos missionários que estão em países mais ricos que seu país de origem. Coletamos experiências de vários missionários que estão trabalhando em países ricos e buscamos um denominador comum trazendo a uma “solução”. Com certeza estamos longe de concluir o assunto.
Bem, sabemos que este tema é muito amplo e existem muitas situações de conflito gerando barreira ao missionário. Mas temos orado e aqui procuramos expor algo que possa te ajudar.

FALANDO DE MISSÕES PARTE 07
Aqui deixamos algumas dicas para os que querem fazer a Obra do Senhor no campo missionário. Sabemos que o assunto é muito vasto e não tivemos a intenção de ser a última palavra. Mas se você quiser nos ajudar e enviar sugestões de assuntos a serem abordados poderemos inseri-los nos posteriores vídeos.

domingo, 23 de março de 2014

Revista Passatempos Missionários número 2: Os Grupos Menos Evangelizados do Brasil - Baixe grátis


Está pronto e disponível para download gratuito o segundo número da Revista Passatempos Missionários. Esta edição é dedicada àqueles que são considerados os oito grupos ou segmentos menos evangelizados do Brasil. São eles: Indígenas, Ribeirinhos, Ciganos, Quilombolas, Sertanejos, Imigrantes, os mais pobres dentre os pobres e os mais ricos dentre os ricos. Já há algum tempo, o missionário Ronaldo Lidório (www.ronaldo.lidorio.com.br) e outros vêm informando e conclamando a igreja brasileira para a necessidade de alcançar tais grupos. O que sua igreja tem feito em relação a esses segmentos? O que você em particular tem feito? Informe-se, interceda, contribua, envie alguém, vá até eles!

A revistinha possui 16 páginas, em formato A5 (210x148). Além de caça palavras, cruzadas e quizzes, nesta edição contamos com as seções Reflexão Missionária, com frases sobre missões/evangelização, e Labirinto.

Passatempos Missionários é uma publicação do blog Veredas Missionárias, e objetiva transmitir informações relevantes, direta e indiretamente ensinando e despertando a Igreja sobre a importância e a urgência da causa missionária, tudo isso através de divertidos passatempos.
Este é um material totalmente gratuito, sem cores denominacionais, concebido para ser livremente distribuído entre a membresia de igrejas evangélicas, seminários, classes de escola dominical, grupos e células, cultos e eventos de Missões etc.

Caso não consiga realizar o download, solicite-me o envio por e-mail: sammisreachers@ig.com.br 

*Embora esse material tenha o objetivo de ser distribuído gratuitamente, você pode cobrar o preço de custo de cada exemplar, caso não tenha condições bancar sozinho os custos de impressão/cópias, sem problema algum. O que você não deve é obter lucro com a venda deste material.

Para baixar pelo site 4Shared, CLIQUE AQUI.
Para ler online, ou baixar pelo site Scribd, CLIQUE AQUI.

DICAS SOBRE COMO IMPRIMIR: VEJA AQUI.

terça-feira, 18 de março de 2014

Volte e Conte - Livro inspira nordestinos conversos a voltarem para o Nordeste para compartilhar o Evangelho


De Volta Para Casa!
Imagine centenas de famílias e os seus descendentes que um dia migraram para o Sudeste do Brasil e ali encontraram a salvação em Cristo fazendo suas malas para retornar às suas cidades de origem, especialmente no Sertão Nordestino, a fim de voltar a viver e a pregar o evangelho do Reino de Deus com paz, justiça e alegria no poder do Espírito Santo.
Imagine profissionais cristãos que amam a Deus e ao próximo abrindo pousadas próximas das rodoviárias das dezenas de cidades do serão nordestino. Ou consultórios médicos, dentários, oficinas mecânicas de carros e de motos, autoelétricas, padarias e escolas, enfim, variados empreedimentos que funcionarão como meios de contato para a transformação de muitos de seus conterrâneos em discípulos de Jesus Cristo.
É por acreditar que ações como estas mudam ambientes espirituais, que Luiz Montanini escreveu este livro. Por meio dele, sonha em despertar o maior número de pessoas possível para passar ao Sertão Nordestino a fim de se juntarem à companhia de homens e mulheres de Deus que já há muitos anos pregam o evangelho no sertão.
CD -Todas as músicas são de autoria de Laércio Lins, o Profeta Nordestino.
Músicas:
1 Volte e Conte
2 Chegue Para Cá
3 Candeia
4 Oásis
5 Perto do Pai
6 Mandacaru
7 Reino de Deus
8 Adorador
9 Mistério de Cristo
10 Lua e Estrelas

Jogo de Cartões de Orações
O jogo de cartões de orações, traz informações sobre as 30 cidades menos evangelizadas do sertão nordestino hoje. Quem o adquire se compromete a orar por uma cidade a cada dia do mês, por um período de pelo menos dois anos.

Você pode adquirir o kit com os três itens (o livro, o CD e os cartões de oração)  no site da Editora Atos, por apenas R$ 30,00. 

quinta-feira, 13 de março de 2014

DIP - Domingo da Igreja Perseguida 2014 - Envolva sua igreja



Há 26 anos, a Portas Abertas realiza o DIP – Domingo da Igreja Perseguida, evento que tem o objetivo de engajar a Igreja brasileira na causa dos cristãos perseguidos por amar a Jesus. Em 2013, tivemos o envolvimento de 5.021 organizadores e igrejas brasileiras que se comprometeram a orar e socorrer a Igreja Perseguida, fazendo a diferença.


Em pleno século 21, cerca de 100 milhões de cristãos enfrentam hostilidade e perseguição religiosa pelo simples fato de seguir a Cristo. Essa intolerância vêm de várias fontes: governo, sociedade e até mesmo da família. Por causa de sua fé, esses irmãos enfrentam encarceramento, agressões físicas e psicológicas, ameaças, perda de emprego ou até a morte.

O Domingo da Igreja Perseguida foi criado em 1987, pelo Irmão André (fundador da Portas Abertas) e tem sido realizado no Brasil desde 1988. A data em si varia de ano a ano, pois é marcada no domingo, logo após Pentecostes. Este critério foi adotado porque o relato bíblico de Atos 4 marca o início da perseguição aos cristãos logo após a descida do Espírito Santo, com a prisão de Pedro e João. Simbolicamente, portanto, podemos dizer que esta foi a “fundação” da Igreja Perseguida. Excepcionalmente neste ano, em virtude da Copa do Mundo, o DIP não acontecerá nesta data simbólica, tendo sido transferido para o dia 25 de maio.
Envolva-se! Inscreva sua igreja, seja um organizador do DIP, incentive seu líder e seu pastor a orar pela causa da Igreja Perseguida, divulgá-la e contribuir financeiramente para ela. No dia 25 de maio de 2014, aproveite a liberdade que temos como Igreja brasileira e utilize-a no serviço aos nossos irmãos perseguidos. “Seu amor me tem dado grande alegria e consolação, porque você, irmão, tem reanimado o coração dos santos” (Filemom 1.7b).
  
Cadastre-se agora

sexta-feira, 7 de março de 2014

Missionários e suas fronteiras - Ronaldo Lidório

Um dos alvos determinantes na prática missionária é anunciar a Cristo onde ele permanece desconhecido, o que coincide com a visão de Paulo sobre a finalidade e prioridade da Igreja. Escrevendo aos Romanos ele deixa claro que a finalidade da Igreja é a glória de Deus (Rm 16:25-27) e a sua prioridade é anunciar a Cristo (Rm 15:20).
As fronteiras missionárias representam diferentes realidades como a diversidade linguística e cultural, formatos sociopolíticos, distância geográfica, necessidade de recursos e saudades de casa. Há também aspectos menos objetivos, porém igualmente determinantes, como as lutas emocionais e a batalha espiritual. Para anunciar a Cristo aos que pouco ou nada ouviram é preciso ultrapassar fronteiras.
Tenho tido a oportunidade de caminhar ao lado de homens e mulheres que investem suas vidas para que Jesus se torne conhecido nos lugares menos prováveis. Alguns trabalham em cidades longínquas, desertos áridos e matas fechadas. Outros atuam em escritórios, treinamentos, hospedagem, barcos, aviões e pastoreio dos colegas da equipe. Todos igualmente lidam diariamente com o desafio de ultrapassar fronteiras.
Algum tempo atrás, falando a um grupo de missionários em uma destas fronteiras longínquas e fechadas, procurava uma figura para animá-los e descrevê-los. Veio à minha mente a lembrança dos barcos usados para quebrar o gelo marítimo do Alasca, os conhecidos ice-breakers. São barcos pequenos, com aparência frágil, porém com motores potentes e a proa construída de aço com espessura dobrada, e afiada, que funciona como um machado que bate e quebra a superfície congelada dos mares do norte a medida que o barquinho avança.
Olhando de longe os ice-breakers tem-se a impressão que estão parados por dias em meio àqueles enormes blocos de gelo. Nada acontece. Porém, observando mais de perto se nota que o gelo tem sido quebrado, metro a metro, e os pequenos barcos se movem a frente, vagarosamente, realizando este pesado trabalho.
Após os ice-breakers realizarem seu trabalho, chegam os grandes barcos turísticos que seguem para conhecer a linda e exótica região. Neste momento o clima é de festa e deslumbramento, porém quebrar o gelo não foi tarefa fácil - nem rápida.
Minha intenção neste breve artigo é encorajar os missionários que lutam em suas fronteiras, bem como a Igreja que segura as cordas para que ali permaneçam. As fronteiras missionárias jamais serão fáceis ou rápidas. Para ultrapassá-las é necessário fortalecer-se no Senhor!
Paulo, escrevendo à Igreja em Éfeso encorajou todo crente a se fortalecer no Senhor (Ef 6:10). O termo usado para fortalecimento tem como raiz o dynamis – poder de Deus, portanto “sede fortalecidos” poderia ser também traduzido como “sede dinamizados”. Expressa, assim, que a fonte da força não é homem, mas o Senhor nosso Deus. Apesar de algumas traduções usarem o imperativo “fortalecei-vos”, o verbo grego está na voz passiva cuja melhor tradução seria “sede fortalecidos”, deixando bem claro que é o Senhor quem pratica a ação. Ao longo do texto ele nos trás motivos claros e urgentes para este fortalecimento.
Primeiramente para não cairmos na cilada do diabo (v. 11). Parece-me, portanto, que as ciladas são abundantes e constantes e o nosso livramento não provém do conhecimento a respeito delas, mas do fortalecimento do coração na presença do Senhor. Em segundo lugar ele nos encoraja a sermos fortalecidos para resistirmos no dia mau (v. 13). Bem sabemos que resistir no dia bom não requer grande esforço da nossa parte. Quando as portas se abrem, o povo ouve a Palavra, pessoas se convertem e igrejas nascem, os fatos da vida já se tornam natural encorajamento. Há, porém, o dia mau quando a enfermidade bate à nossa porta, a perseguição se acentua, o sustento não vem, o amigo não ouve e o povo não se converte. Nestes dias a ordem é resistir e Paulo usa a figura de uma estaca bem fincada no chão que não é derrubada pelo vento.
Um terceiro motivo é a proclamação do Evangelho (v. 19). Se fortalecidos falaremos mais de Jesus com nossas palavras e mostraremos mais Jesus em nossas vidas. Fortalecidos no Senhor cruzaremos fronteiras, falaremos do Nome de Jesus e nos envolveremos, com muito amor, com o próximo. Apesar da grave necessidade de abençoada e útil ajuda física, psíquica e emocional mediante os problemas diários – e das fronteiras missionárias – é preciso lembrar que as soluções mais profundas e duradouras para os problemas da alma e da vida se encontram aos pés do trono de Deus. Ali seremos fortalecidos, pois “os que esperam no Senhor renovarão as forças, subirão como águias; correrão e não se cansarão; caminharão e não se fatigarão” (Is 40:31). No Senhor encontramos renovo!
Dentre várias formas de buscarmos fortalecimento em Deus devemos manter em mente (e na prática diária) alguns essenciais: cultivar a vida devocional, estudar e conhecer a Palavra e não caminhar sozinho.
As fronteiras missionárias se desdobram no tempo, portanto não é uma caminhada de um só dia. Gosto da expressão de Lutero, citado no livro Glory to Glory, quando diz que “esta vida, portanto, não é justiça, mas crescimento em justiça. Não é saúde, mas cura. Não é ser, mas se tornar. Não é descansar, mas exercitar. Ainda não somos o que seremos, mas estamos crescendo nesta direção. O processo ainda não está terminado, mas vai prosseguindo. Não é o final, mas é a estrada. Todas as coisas ainda não brilham em glória, mas todas as coisas vão sendo purificadas”.

Que o Senhor encoraje os missionários a enfrentarem suas fronteiras e a Igreja a apoiá-los nesta caminhada. Ainda não é o final, mas é a estrada. Nesta estrada todo missionário precisa de um intercessor que persevere e um amigo que com ele caminhe. Por meio destes também o Senhor nos fortalece.

Encerro com uma oração, para que o Senhor visite a cada missionário em suas fronteiras e cada irmão que lhe segura a corda. Que o Senhor os fortaleça e os livre das ciladas, resistindo quando o dia mau chegar e jamais deixando de proclamar a Palavra. Que o Altíssimo dê a cada um porção extra de discernimento – para o próximo passo – e de perseverança - para não desistir. Para os que estão “andando e chorando” enquanto semeiam, saibam que um dia voltarão trazendo os frutos. Talvez o dia ainda não tenha chegado, mas é a estrada. Se fortalecidos, passaremos pelas fronteiras tendo guardado o coração - para a glória do Nome acima de todo Nome: Jesus.

Missionário Ronaldo Lidório

segunda-feira, 3 de março de 2014

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...