quinta-feira, 30 de junho de 2022

A Grande Comissão nos quatro evangelhos - Esboços


A Grande Comissão em Mateus

Esboço da comissão:

1. O poder (soberania) do Rei – “toda a autoridade”.

2. O propósito do Rei – “fazei discípulos”.

3. O preceito do Rei – “ir... batizar... ensinar”.

4. A presença do Rei – “Estou convosco”.

 

A Grande Comissão em Marcos

Esboço da comissão:

1. O método de missões – pregação.

2. A dimensão de missões – o mundo.

3. A mensagem de missões – o Evangelho.

 

A Grande Comissão em Lucas

Esboço da comissão:

1. A fundação reveladora do Evangelho – as Escrituras, a lei de Moisés, os profetas, os Salmos.

2. A essência do Evangelho – a morte e ressurreição de Cristo.

3. A incumbência do Evangelho – arrependimento e expiação dos pecados devem ser pregados.

4. A dimensão do Evangelho – entre as nações.

5. O instrumento do Evangelho – somos testemunhas.

6. A dinâmica do Evangelho – a promessa do Pai e do Espírito Santo.

 

A Grande Comissão em João

Esboço da comissão:

1. Orientação – “Como o Pai me enviou...”

2. Incumbência – “Eu, pois os envio”.

3. Preparo – “Recebei o Espírito Santo”.

4. Missão – “Perdoar os pecados”.

 

George W. Peters, no livro Teologia Bíblica de Missões (CPAD)


sábado, 18 de junho de 2022

Como Criar um Informativo Missionário - E-book gratuito


O missionário Renato Sousa criou e disponibilizou, gratuitamente, o pequeno e-book Como Criar um Informativo Missionário que Gere Resultados. O material é voltado para missionários e organizações que precisam elaborar informativos para seus mantenedores, e para comunicar seu trabalho de uma maneira em geral.

Renato também produz outros conteúdos de interesse missionário, os quais compartilha em seu perfil no Instagram: @renatoemmissao .

Para baixar o e-book, acesse: https://agencia-keel.herospark.co/p/informativoeficaz


quarta-feira, 8 de junho de 2022

Seja um mobilizador pelos povos não alcançados - Baixe o kit de recursos

 


Os PNA (povos não alcançados) são ou deveriam ser a maior prioridade missionária minha e sua, e de nossos irmãos daqui e dacolá, ou seja, de TODA a igreja.

A Missão Crossover Global preparou uma kit de recursos para nos ajudar a mobilizar a igreja para a causa dos PNAs. 

O kit, GRATUITO, é composto pelos seguintes itens: 

  • O e-book 30 Dias de Oração pelos Povos Não Alcançados, que junto aos motivos de oração apresenta valiosas informações sobre muitos desses grupos; 
  • Uma apresentação em PDF ou PPT sobre os PNAs;
  • Um infográfico sobre os oito blocos de afinidade cultural menos alcançados, em formato digital ou para impressão em tamanho A2;
  • Um vídeo com informações sobre os PNAs.

Acesse o site e baixe seu kit: 

https://www.tarefainacabada.com.br/mobilize


sábado, 4 de junho de 2022

O missionário merece uma resposta

 


Valter Júnior - @projetojoao9 

Não me parece que um missionário acredite que toda a Igreja para a qual apresenta o seu projeto de trabalho, irá acolher e se prontificar a apoiar. 

Muitas razões legítimas podem levar a Igreja a precisar dizer não ao convite para ser parceira do missionário na extensão que ele gostaria.

Quanto a isso, tudo bem! 

Mas que a Igreja efetivamente comunique isso ao missionário.

É realmente desconfortável e constrangedor para quem apresentou uma proposta e nutriu esperança de obter uma resposta positiva, não receber resposta nenhuma. 

Consideremos o missionário digno de receber uma resposta, mesmo que seja negativa.

Não oferecer qualquer retorno a pretexto de assim se esquivar do desconforto de dizer não, vai deixar um coração que ama a obra de Deus e precisa de apoio, alimentando uma esperança que a Igreja já sabe que não vai se concretizar. 

Se a parceria não pode se efetivar em um compromisso de sustento, quase sempre pode se firmar em um compromisso de oração.

Para o missionário, saber que uma Igreja ora por ele é realmente confortador, revigorante e encorajador. 

No entanto, muitas Igrejas agem como se acreditassem que a única ajuda de fato significativa é a financeira.

Se não podem dar uma resposta positiva quanto a este auxílio, nada fazem. 

Parece que informar que “apenas” vão orar por ele, pode ser tão desapontador que preferem nada comunicar.

Sabemos a importância do sustento financeiro, mas não podemos elevar tão auxílio e cooperação a uma condição sem a qual, nenhuma outra seria possível. 

Se não pudermos contribuir financeiramente, oremos, divulguemos, apoiemos de formas que não incluam recursos monetários.

Por outro lado, se o missionário reclama que algumas igrejas não assumiram compromisso de suporte financeiro, lamentando que elas vão “apenas orar por ele”, estaria com isso colocando o auxílio financeiro em um patamar superior a oração pelo seu ministério. 

Sabemos a importância e real necessidade dos recursos financeiros para se fazer algo nos campos missionários, mas não permitamos que esse componente assuma um valor maior, nem menor do que realmente possui.

Assim, quem convida para uma parceria missionária e quem recebe o convite, não estarão com o coração nos recursos financeiros, mas sim em Deus que responde as orações e nos concede o privilégio de nos tornarmos participantes da obra que Ele está fazendo no mundo, usando os dons, talentos, habilidades e bens que a nós confiou. 

Que a boa comunhão e contato regular entre missionário e Igreja local independa  da existência de uma parceria ampla e completa em todos os aspectos, mas sim do fato de sermos entes diferentes entre si, mas membros do mesmo Corpo, cuja cabeça é Cristo.

Não é o auxílio mútuo entre os membros que os torna partes do Corpo, mas por serem membros do mesmo corpo, deles se espera tal atitude.


🙏 Ore pelos missionários 

🙏 Ore por mais missionários 

🙏 Ore pelas igrejas parceiras em oração, contribuição, suporte e/ou envio

🙏 Ore por mais igrejas parceiras em oração, contribuição, suporte e/ou envio

👉 Compartilhe essa mensagem 


Via MSM - Receba notícias de missionários direto no seu WhatsApp. Dê oi ao WhatsApp +5561981472584 - MSM - Missões em suas mãos.


domingo, 22 de maio de 2022

Onde estão os MOBILIZADORES DE MISSÕES?

 


André Lopes Wanderley - JUVEP

 

Em Romanos 10, a partir do verso 14, se lê: “Como, porém, invocarão aquele em que não creram? E como crerão naquele de quem nada ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? Como está escrito: Quão formosos são os pés dos que anunciam coisas boas!”

Agora de trás para frente: “Como os pés formosos anunciarão coisas boas, se não forem enviados? Como serão enviados, se ninguém os pregou? Como poderão pregar, se nada ouviram? E como poderão ouvir, se em nada creram? E como irão crer, se não foram invocados ou mobilizados por ninguém?


PRECISAMOS DE MOBILIZADORES COM A VISÃO DE REINO

Alguém precisa repassar a visão missionária. Alguém precisa dizer: “continuem a orar por missões”. Alguém precisa encorajar as pessoas a investirem no Reino com os seus recursos e com os seus dons. Alguém precisa convocar, conclamar a Igreja do Senhor Jesus a mobilizar os recursos que possam suprir as reais necessidades do campo missionário, para que, por fim, o Espírito Santo possa trabalhar nos corações de quem vos faça ouvir à Sua voz. Deixe o Espírito Santo fazer o Seu papel.

Um fato importante é que as pessoas não vão adivinhar quais são as reais necessidades do campo missionário, pois a Bíblia também nos diz que os adivinhadores não entrarão no Reino de Deus (Lv 19:31/Jr 27:9/Dt 18:10). Portanto, alguém precisa se dispor a ser um arauto de Deus para proclamar as verdades bíblicas.

Sabemos que o papel do Espírito Santo não é o de apenas convencer o homem do pecado, da justiça e do juízo (Jo 16:7-11), mas também o de nos fazer lembrar de todas as coisas que Cristo ensinou e que estão registradas nas Sagradas Escrituras (Jo 14:26). Ele é o Consolador para todas as horas, que nos encoraja a crer e nos anima a avançar quando não acreditamos nem em nós mesmos.

O Espírito Santo também nos impulsiona a interceder pela obra missionária quando ouvimos falar das necessidades do campo, ampliando a visão do nosso Mestre: “A seara é realmente grande, mas poucos são os ceifeiros. Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande ceifeiros para a sua seara” (Mt 9:37,38).

Nesse sentido, o Espírito Santo dirá à Sua Igreja, por meio de um mobilizador, que continuem a pregar a visão, que intensifiquem-se nas orações por missões, que contribuam com alegria e sejam generosos de coração. Chamando àqueles à obra missionária aonde Ele vos enviar.

Os campos já estão brancos para a colheita (Jo 4:35), portanto, precisamos de mobilizadores que sejam usados por Deus, para que a vontade de Deus se cumpra através da Sua igreja.

“Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador, o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade” (1 Tm 2:3-4).

Seja você, portanto, um MOBILIZADOR DO REINO!

______________________________________

Confira abaixo alguns recursos GRATUITOS para lhe auxiliar nos esforços de mobilização missionária. Clique sobre os títulos e baixe pelo Google Drive:

Manual de Mobilização Missionária Go Mobilize 

Ideias criativas para o Promotor de Missões 

Manual do Mobilizador de Missões JMM

Manual de Mobilização Missionária APMT

Mais de 200 Maneiras Práticas de se Envolver em Missões


Para mais recursos úteis, confira o LinkTree de Veredas, AQUI.



quarta-feira, 11 de maio de 2022

Cursos e eventos missionários e missões de curto prazo pelo Brasil

 







Dia 20/5 realizaremos o 1° Encontro de Boas Práticas na Gestão Missionária, organizado pela @amtboficial.
O evento é gratuito, e as inscrições podem ser feitas através do link bit.ly/bpgm-1.
Local: Plenarinho da Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul
Endereço: Praça Marechal Deodoro, 101 - Centro Histórico, Porto Alegre.




@missao.kadosh realiza trabalho de evangelismo em locais menos alcançados desde 2006. Estamos trabalhando no Sertão Pernambucano com três segmentos menos alcançados no Brasil (Sertanejos, Indiginas Sertanejos e Quilombolas). Nosso alvo é uma transformação na cidade de Mirandiba-PE e Carnaubeira da Penha-PE em 10 anos. Por isso estamos retornando a cidade todos os anos, e este é o segundo ano.


Dias 10, 11 e 12 de Maio em Braga, Portugal.
Link para inscrição: https://bit.ly/3u5mvYn





Ajude a evangelizar o Rio Grande do Sul.
Maiores informações com o Rev. Sérgio Rezende - Instagram: @revsergiorezende










Encontro online com o DEMI-Departamento de Educação Missiológica da AMTB-Associação de Missões Transculturais Brasileiras - Sábado, 2 de julho de 2022, das 14h às 16h

segunda-feira, 2 de maio de 2022

Missiologia em pauta: Baixe TCCs sobre temas missiológicos ou de interesse

 

Diversos (mas, infelizmente, não todos) seminários evangélicos disponibilizam os Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs) de seus alunos concluintes de cursos superiores (Teologia etc.), para download/consulta gratuita.
Apresentamos hoje o acervo da Faculdade Batista Pioneira. No site das instituição, você poderá baixar diversos TCCs de interesse, tais como:

BUTESEKE, Wagner | O chamado: características e consequências da vocação ministerial

ECKERT, Mariane | IGREJA E MISSÕES: Como levar o amor de Deus aos muçulmanos.

GRANDO, Delize Gabriela | As Perspectivas Bíblica e Histórica Sobre Vocação

MENEZES, Acsa | Refugiados: a perda da dignidade humana e aresposta da igreja em meio à crise migratória atual

NAVA, Evandro | A prática da mordomia cristã em relação àcriação divina como parte da visão da teologia da missão integral

POSSA, Rodrigo | Treinamento de liderança autóctone comoestratégia de evangelização dos povos

SCHUBERT, Giovani | Desafios e possibilidades para acomunicação do evangelho entre a cultura gaúcha

SCHUBERT, Kethryn A. A. | A Europa no momento missionáriomundial e condição atual - fatores da falta de fé e portas de acesso


Clicando sobre os títulos, você poderá fazer o download gratuito. E, clicando AQUI, você poderá conferir todos os trabalhos disponíveis.


terça-feira, 19 de abril de 2022

A cosmovisão das culturas como ponte para uma efetiva evangelização

 

Homem indiano.

Baht Singh, famoso evangelista da Índia, certa vez deu uma entrevista acerca da mensagem cristã que ele pregava:

— O senhor fala sobre a ira do Deus? — perguntaram.

— Não; todos os deuses da Índia são irados — replicou ele.

— O senhor fala acerca do amor? — foi a próxima pergunta.

— Não - respondeu Singh - o povo da Índia relaciona a palavra “amor” com o sexo.

— Fala o senhor sobre a morte de Cristo?

— Não — replicou Singh — meu povo já tem muitos mártires.

— Bem, então ... fala o senhor sobre a vida eterna?

— Não com frequência — respondeu ele. — O conceito hindu da eternidade é cíclico. De acordo com o pensamento hindu, a vida eterna não é algo desejável. É algo para ser suportado.

— Bem, então, que destaca o senhor em sua pregação? — foi a pergunta final.

— Damos ênfase ao perdão dos pecados, à paz e à serenidade íntima. É isto o que os hindus mais procuram. É neste ponto que Deus se encontra com eles.

Baht Singh realizou um poderoso ministério na Índia, graças ao qual dezenas de milhares de pessoas aceitaram a Cristo. Ele teve sabedoria suficiente para usar uma estratégia cujo objetivo era pregar as doutrinas do evangelho que mais satisfaziam às necessidades mentais e emocionais do povo. Isso não quer dizer que ele não pregava todo o evangelho. Ensinava as demais verdades bíblicas depois que os ouvintes se convertiam e se tornavam crentes. Mas, para evangelizá-los, destacava os temas evangélicos que ofereciam resposta às necessidades do povo.

Larry D. Pate, in Missiologia: A missão transcultural da igreja (Ed. Vida).

sábado, 9 de abril de 2022

Dica de leitura: IDEIAS CRIATIVAS - Centenas de ideias criativas para missões

 


Publicado pela Editora Descoberta em 2018, o livro IDEIAS CRIATIVAS: Centenas de ideias criativas para missões é um verdadeiro manual de ideias PRÁTICAS para fazermos, mobilizarmos e expandirmos nossas atividades missionárias.

O autor, Kevin Bradford, é missionário e professor das áreas de Teologia e Missões com anos de experiência, sendo cofundador do movimento Perspectivas. O autor reuniu dicas que abarcam os mais diversos temas que podem ser de valia para o esforço missionário cristão, divididos em dois grandes blocos: Ajuda para o Missionário e Ajuda para o Corpo (a igreja). Em linguagem simples, as dicas ocupam no máximo apenas uma página cada uma, ou seja: As 256 páginas do livro possuem o que o subtítulo promete, centenas de ideias.

Uma ferramenta fundamental para mobilizadores, líderes de missões e todo cristão que, consciente de seu papel na Grande Comissão, queira melhor servir ao Cordeiro que nos comissionou.

Link para o livro no site da editora: 

https://www.descoberta.com.br/index.php?id_product=221&controller=product


segunda-feira, 28 de março de 2022

Missões: A preparação do coração para o chamado de Deus

 


A soberania de Deus não exclui o livre-arbítrio do homem ou impede que ele prepare cuidadosa e seriamente seu coração para ter uma experiência espiritual. Permanece como responsabilidade do homem ouvir o chamado de Deus (compare as muitas declarações nos Evangelhos e no livro de Apocalipse, onde somos desafiados: "Quem tem ouvidos para ouvir, ouça" – Mt 11.15; Mc 4.9; 7.16; Ap 2.7,11,17,29; 3.6,13,22).

Podemos comparar o chamado de Deus a uma chamada telefônica. Ela nada significa se é uma pessoa surda quem está recebendo a ligação, não importa o quão distinta, específica e singular seja a chamada do outro lado. Quando o ouvido está fechado, a mente preocupada, e a vontade e os propósitos já estão estabelecidos, o homem se torna inacessível. Muitas pessoas nunca recebem um chamado do Senhor, não porque o Senho não está chamando, mas simplesmente porque elas não estão dentro do alcance do chamado. Elas estão fora de alcance.

 Devemos, dessa forma, preparar nossos corações para o chamado de Deus. Com esse propósito, fazemos várias sugestões:

 

1.    Assegure-se de que seu corpo torne-se um sacrifício vivo e santificado para o Senhor (Rm 12.1,2).

2.    Assegure-se de que não haja nenhum pecado consciente importunando seu ouvido e visão espirituais (Ef 1.18; Cl 1.9).

3.    Assegure-se de que não haja planos e preferências pessoais preconcebidas (Sl 25.9).

4.    Assegure-se de obedecer a Deus diária e alegremente nas pequenas coisas do cotidiano. Pratique a obediência a Deus e ao homem (Lc 19.17; 1 Sm 15.22).

5.    Assegure-se de que está disposto a ir e ser usado em qualquer lugar (Jo 7.17).

6.    Adote o hábito de oração diária, estudo da Bíblia e meditações particulares diante do Senhor (Js 1.;8 Sl 77.12; 119.15,25,45).

7.    Adote o hábito de aguardar com paciência em relação ao Senhor, esperando que Ele oriente cada passo de sua vida e conduta diárias (Pv 3.6; Sl 23.3).

8.    Estude atentamente a Palavra de Deus relativa aos propósitos de Deus para a vida cristã e a igreja cristã. Sature-se da Palavra de Deus (SI 119.11,104,105).

9.    Estude atentamente as grandes necessidades espirituais de nosso tempo e prepare-se para satisfazê-las. Adote uma visão mundial e uma tarefa mundial (Jo 4.35).

10.                      Passe um bom tempo em oração intercessora pela causa e pelo ministério de Cristo em sua seara e fora dela (Mt 9.37,38).

11.                      Ore regular e seriamente para que Deus torne sua vontade e seu chamado definidos para você (SI 25.4; 27.11; 143.8).

12.                      Descanse com segurança nas promessas de Deus e espere que Ele o satisfaça de acordo com sua necessidade. Ele tornará sua vontade e seu chamado certos (SI 37.5,7a; 32.8).

A clareza, profundidade e certeza do chamado de Deus irão depender grandemente da qualidade do coração, da intensidade de nossa comunhão com o Senhor e do grau de nossa disposição para obedecer ao Mestre em sua ordem e comissão.

 

Testes do chamado de Deus

 

Não acreditamos que honra a Deus pedir sinais ou constantemente fazer “a prova com o velo” (Jz 6:36-40) para testar Deus, porém, há certos princípios pelos quais podemos tornar nosso chamado certo. Esses são bem resumidos por um escritor:

1.     Isso está de acordo com o plano geral de Deus como demonstrado em sua Palavra?

2.     As circunstâncias ocasionais podem ser ajustadas com o que parece ser sua orientação?

3.     O Espírito Santo testemunha continuamente que essa é vontade de Deus?

4.     Você ainda é chamado quando não há desafio de aventura e deslumbramento de heroísmo? Se fosse chamado para um campo insignificante, estaria disposto a ir? Se você fosse o único a concordar em ir, ainda assim concordaria?

5.     Você está disposto a pagar qualquer preço?

6.     Você meramente "acha" que deveria ir a um certo campo, ou essa e uma "convicção" profunda?

Esses princípios podem ser e devem ser usados livremente para testar o chamado de Deus na vida de alguém. Já que os testes de uma vida missionária são severos, devemos testar honesta e seriamente nosso chamado missionário.

Vamos nos aplicar ao preparo de nossos corações para o chamado de Deus e assegurar que quando o chamado nos alcançar, encontre urna resposta imediata e vivaz.

Vamos também permitir que o chamado de Deus amadureça em nossas vidas, mas não para que ele fique gasto e se torne ineficaz. Há perigo na ação prematura há perigo procrastinação.

George W. Peters, no livro Teologia Bíblica de Missões (CPAD).


segunda-feira, 14 de março de 2022

Livro da disciplina de Missiologia disponível para download


A universidade UNIASSELVI disponibiliza, em seu site, o livro/apostila da disciplina Missiologia, elaborado pela professora Eliete Silva Pereira das Neves. São 111 páginas que apresentam uma visão panorâmica sobre a disciplina. Baixe o seu, está free.

sábado, 5 de março de 2022

Ajudando minha igreja a orar - Como desenvolver e sustentar a intercessão global

 


ELLEN LIVINGOOD

Publicado originalmente em Catalyst Services

Você pode citar algumas igrejas que têm muitas pessoas orando por missões globais? Esta pergunta é muitas vezes respondida com um suspiro e silêncio. Pergunte a uma igreja sobre seus intercessores e geralmente eles nomeiam alguns aposentados ou o grupo das senhoras. Mas toda a congregação? Crianças e adolescentes? Pais ocupados? Até os pastores? Talvez nem tanto.

Este artigo não oferece nenhuma panaceia para estimular a oração. Talvez a advertência mais importante seja considerar se nossa própria prática de intercessão é tão apaixonada e regular quanto deveria ser. É muito fácil deixar-nos escapar pensando, consciente ou inconscientemente, que nosso trabalho é ser o capitão enquanto as tropas rezam. Mas sabemos que Jesus reservou tempo para oração prolongada e viveu a vida constantemente em contato com Seu Pai. Se Ele escolheu fazer isso, está claro que devemos.

Neste artigo compartilhamos alguns modelos que não são histórias de sucesso concluídas, mas os esforços de mobilização de oração ainda estão em desenvolvimento. Concluímos com sugestões e um link para mais recursos.


Várias Igrejas Orando pela Mesma Iniciativa

A Converge International Ministries está lançando consórcios de igrejas dos EUA, cada uma focada em uma de suas 20 iniciativas globais. A oração é projetada para ser um componente central. Alguns desses consórcios envolvem um número significativo de igrejas comprometidas em apoiar uma equipe bem desenvolvida no local. O consórcio do Togo é um deles. Aqui está a história deles.

Na primavera passada, os trabalhadores da Converge nesta nação da África Ocidental sofreram um ataque espiritual particularmente virulento. O vodu é praticado nesta região, e a guerra espiritual era evidente: os trabalhadores ouviam o que soava como uma multidão de vozes desencarnadas perguntando em inglês: “Para que você está aqui?” Houve outros eventos inexplicáveis ​​e uma notável falta de fruto espiritual.

Alertado para este ataque espiritual, o Consórcio Catalisador Chuck Lewis entrou em contato com os coordenadores de oração para esta iniciativa, Gary e Maureen Albers. Mesmo nunca tendo feito um evento como esse antes, os Albers decidiram realizar uma caminhada virtual de oração e convidaram todas as igrejas que apoiavam os trabalhadores da equipe do Togo a participar.

Os trabalhadores de campo escolheram 10 locais onde sentiram que a guerra espiritual era a maior, incluindo a casa do feiticeiro, o campo de futebol onde o evangelho era frequentemente compartilhado com os jogadores sem resposta e um prédio da igreja onde o comparecimento de algumas crianças havia diminuído. Os organizadores ficaram emocionados quando 90 pessoas apareceram online para orar. Cinco minutos foram alocados para cada local. O evento de oração foi realizado em tempo real com uma pessoa no Togo correndo de um local para outro usando seu telefone para tocar cada local específico à medida que a intercessão sincera aumentava.

Chuck explica: “Tudo o que posso dizer é que bombardeamos o céu. Chamamos o Capitão do exército do céu. Eu fico muito apaixonado quando oro. Outros estavam orando em silêncio. Acreditávamos que o inimigo tinha vindo e se mantinha firme, mas agora a equipe de Jesus estava vindo para recuperar o território”.

Logo após a sessão de oração, o futebol recomeçou no campo e mais uma vez, o evangelho foi compartilhado. Um jovem entregou sua vida a Cristo. No domingo seguinte, ele trouxe três amigos para a igreja, e eles também vieram a Cristo. Logo depois, um dos pastores encontrou oito meninas na estrada e compartilhou o evangelho. Ansioso para ouvir mais, esse grupo se tornou o início de uma nova congregação que hoje inclui mais de 80 pessoas reunidas em uma igreja simples com telhado de palha e chão de terra. Adoradores transbordam do espaço e muitos tem que se aglomerar do lado de fora e ouvir pelas janelas. Os jovens pastores aproximam as suas vacas das janelas para que possam ouvir enquanto vigiam o seu gado.

Ficou bem claro que Deus havia usado aquela caminhada de oração virtual para lançar um avanço no evangelho. No entanto, o inimigo ainda estava em ação. O assédio espiritual continuou, agora visando especificamente os trabalhadores globais.

Um segundo tempo de oração virtual foi agendado um mês depois. Desta vez, o foco foram os missionários da Converge. Cada família sentou-se na varanda da frente e, novamente, alguém com um telefone correu de casa em casa para que a equipe de oração virtual “visitasse” cada família. Em cada parada, os intercessores oravam pela casa e por cada membro da família.

Meses depois, o ministério continua a florescer. Vários chefes de aldeia estão pedindo que alguém venha à sua aldeia e plante uma igreja. Um praticante de vodu e toda a sua família vieram a Cristo. A equipe de oração do Togo agora se reúne semanalmente para orar, embora o grupo geralmente seja de apenas 8 a 10 pessoas ligando de várias partes dos EUA. Um e-mail com pedidos e respostas é enviado a cada semana para um grupo muito maior.

A coordenadora de oração Maureen Albers enfatiza: “Fizemos um estudo bíblico sobre importunação. O homem da história de Lucas 11 bateu desesperadamente na porta de seu vizinho porque não tinha nada para alimentar seu amigo visitante. Ao orarmos pelo Togo, estamos igualmente desesperados. Não temos nada a oferecer em nós mesmos.

“Deus deve tirar as vendas e convencer as pessoas de sua necessidade de Cristo”, continua Maureen. “Nós nunca podemos converter alguém. Estamos orando por 190.000 discípulos em Togo e Benin, e por 100 igrejas em Benin. Mas somos totalmente impotentes para que isso aconteça. Assim, viemos com grande expectativa a cada semana para implorar a Deus que o faça.

“Sabemos que Deus nos uniu de uma maneira única. Não nos conhecemos fora deste grupo de oração online, mas acreditamos que Deus está trabalhando e nos reunimos virtualmente com a expectativa de que Ele fará mais do que podemos pedir ou pensar.”


equipe de oração também viu os trabalhadores de campo do Togo crescendo em sua percepção da importância da oração. Maureen diz enfaticamente: “Os intercessores não precisam de agradecimentos, mas precisamos saber os resultados. E isso depende de obreiros relatarem respostas às orações. Ouvir sobre o que Deus está fazendo é alimentar este grupo; é o que os mantém comprometidos.”

Maureen mantém uma lista de todas as respostas. “Olhar para esta lista reforça nossa determinação de orar. Toda semana, algo é respondido”, ela compartilha. “Às vezes, paramos e passamos uma sessão inteira agradecendo a Deus. Ele está correndo na nossa frente. Não conseguimos nem acompanhar! Ele está fazendo mais e mais rápido do que podemos orar!”


Crescendo Pessoas em Oração Quando é Difícil

Outra equipe de oração do consórcio Converge teve uma experiência bem diferente. Eles estão orando por uma iniciativa em uma parte de alto risco do mundo, onde apenas um casal da Converge serve e o fruto espiritual demora muito a chegar. Além disso, durante grande parte da pandemia, esses trabalhadores não puderam estar no local.

Quando Jan Hoffman concordou em ser a coordenadora de oração dessa iniciativa, ela assumiu que alguém lhe daria um plano. Em vez disso, seu grupo se desenvolveu organicamente, descobrindo como proceder à medida que avançavam. Seus momentos de oração virtuais mensais se concentram nas Escrituras e em pontos específicos de oração compartilhados por seus trabalhadores globais. Orar pedidos bíblicos de volta a Deus aumenta a confiança dos intercessores em pedir com ousadia mesmo quando não veem resultados rápidos.

Este grupo também fez uma caminhada de oração virtual – mais desafiadora porque seus missionários não estavam no local no momento. Em vez disso, os trabalhadores compartilharam fotos tiradas pré-Covid de vários locais da cidade onde o ministério ocorre. Algumas dificuldades técnicas no início da sessão de oração os lembraram de que o inimigo queria impedir seu evento. Os problemas foram resolvidos e eles fizeram um ótimo tour virtual de oração.

Jan também envia um e-mail regular com pedidos de oração. Ela tenta variar a abordagem para mantê-lo fresco. Em um mês, ela compartilhou sete itens, todos começando com a letra “P”. Além de usar os “Ps” para direcionar sua oração online, ela encorajou sua equipe a continuar orando por um pedido “P” a cada dia.

"Para crescer em oração, precisamos estar com pessoas que são guerreiras de oração”, Jan compartilha com entusiasmo. “Cresci na minha própria vida de oração através desta iniciativa porque tenho orado regularmente com pessoas que acreditam na oração. Orar é falar e ouvir, então qualquer crente pode fazê-lo. Mas, além disso, aprendemos a orar as Escrituras”.

Agora que seus funcionários estão de volta ao país com protocolos de segurança mais rígidos, é mais difícil trocar informações. Destemida, a equipe de oração foi estimulada a redobrar seus esforços, sabendo que os trabalhadores estão confiando muito em sua cobertura de oração neste contexto restrito.

Jan está triste porque até agora ninguém de sua própria igreja se juntou às sessões mensais. Então, o que a faz continuar? “Sou encorajado pela oração respondida. Sou estimulado por aprender com outros coordenadores de oração comprometidos com quem converso; por exemplo, a ideia de fazer uma sessão de oração virtual veio de outras pessoas que já haviam feito isso.

“Acima de tudo”, continua Jan, “estou encorajado pelas pessoas que aparecem mês após mês para nosso tempo de intercessão online. Passo muito mais tempo orando com pessoas que nunca conheci do que com as pessoas da minha própria igreja. Orar online era uma coisa nova para mim quando começamos nossas sessões de Zoom, mas agora estou muito confortável orando com pessoas que nunca conheci pessoalmente. Estes são momentos doces juntos."


ALGUMAS IDEIAS PARA FAZER IGREJAS ORAR


  1. Colaboradores de várias igrejas com foco em um trabalhador/equipe. Conforme descrito acima, a facilidade de se reunir online torna relativamente fácil construir um grupo de oração global em torno de um trabalhador global ou de toda a sua equipe. Todas as igrejas de apoio e indivíduos interessados ​​podem ser convidados a participar. Os intercessores muitas vezes se sentem sozinhos em seu ministério de oração dentro de sua própria igreja, mas ao se unirem, eles encorajam uns aos outros e sentem o poder de se apresentar diante do trono de Deus como um grupo.
  2. Incluindo trabalhadores globais e parceiros nativos (locais). As diferenças de fuso horário podem tornar isso complicado, mas é valioso encontrar horários que funcionem para que os intercessores e os parceiros globais estejam online juntos. Em vez de apenas orar pelos trabalhadores, os grupos podem orar com eles, bem como com os parceiros nacionais. Uma conta comercial do Zoom facilita a tradução simultânea, superando algumas das barreiras linguísticas. Se houver preocupações de segurança, o coordenador de oração deve assumir a responsabilidade de garantir que os intercessores entendam a necessidade de usar uma linguagem criativa e abster-se de mencionar nomes, etc.
  3. Eventos de oração introdutórios, delimitados por tempoAqueles que são novos na intercessão são mais propensos a participar de um evento único, ou um desafio de uma semana ou um mês, em vez de assumir um compromisso em aberto. O foco anual dos 40 Dias de Oração pelo Mundo Muçulmano é apenas um exemplo. Existem eventos focados semelhantes para os blocos hindu e budista. As igrejas podem usar os recursos e publicações relacionados para qualquer período de tempo que escolherem. Outra possibilidade é criar uma iniciativa de oração focada imediatamente antes ou depois que o trabalhador de campo visitar a igreja. Elas criam antecipação ou seguem adiante, tornando “Estou orando por você” mais do que palavras vazias.
  4. Uma comunidade de oração para o foco das missões da igreja. As igrejas podem enviar uma breve atualização semanal por e-mail ou texto que se concentra na história contínua do que Deus está fazendo entre seu grupo ou projeto de pessoas. Apenas um ou dois pedidos focados serão mais provavelmente lidos e orados do que uma longa lista. Incluir respostas a solicitações anteriores é essencial.
  5. Segunda-feira de Missões. A fim de desenvolver a disciplina ou hábito de oração entre seus membros, a Igreja Presbiteriana de Fullerton, CA, envia um pedido de oração toda segunda-feira de manhã e pede a todos que reservem cinco minutos para orar com fé sobre esse tópico. Se cada um de seus aproximadamente 50 membros orar por cinco minutos, eles terão estimulado mais de quatro horas de intercessão. Isso é poderoso!
  6. Oração concentrada em tempos de crise. Uma oportunidade emocionante ou um desafio difícil para os trabalhadores globais é uma grande oportunidade de chamar suas igrejas para uma oração concentrada. Os líderes podem querer fazer disso um foco de uma semana com horários designados para orar juntos, pessoalmente ou virtualmente. Configurá-los em diferentes momentos do dia dará oportunidade para pessoas com horários variados participarem. Ou todos podem ser solicitados a parar e orar em uma determinada hora do dia ou por um determinado período de tempo (manter o tempo curto incentiva os iniciantes a participar). Um e-mail diário (ou mensagem circular de Whatsapp) para esses sete dias pode listar uma ou duas solicitações muito específicas. É essencial compartilhar atualizações e respostas, mesmo que não haja avanços; a congregação precisa saber o que aconteceu. Se a necessidade continuar, aqueles que estão segurando as cordas em “casa” devem ser instados a continuar a orar e receber atualizações regulares.
  7. Oração que orienta novos intercessores. Ao se reunirem, os intercessores experientes costumam usar uma certa linguagem na oração e oram por períodos de tempo relativamente longos. Ambos podem intimidar aqueles que estão apenas sendo apresentados à intercessão global. Experimente vários modelos de oração que ajudem a criar um contexto em que todos possam se sentir à vontade para participar, ajudando assim todo o grupo a permanecer engajado. Exemplos: (a) Use um estilo de oração conversacional em que todos oram apenas uma ou duas frases em torno de um tópico antes de passar para o próximo. (b) Escreva várias promessas de oração bíblicas no papel, depois convide as pessoas a orar uma delas de volta a Deus. (c) Toque ou cante músicas de adoração que expressem desejo de renovação espiritual e encoraje os intercessores enquanto ouvem ou cantam para pedir a Deus que essa renovação aqueça os corações de seus parceiros globais.
  8. Orações das crianças. Nunca desconsidere o poder da oração das crianças. A melhor fonte de novos intercessores de uma igreja pode ser as crianças. Desenvolva alguns grupos de oração para crianças como parte de seu programa de domingo de manhã ou durante a semana. As crianças oram com paixão e visão se o processo todo for modelado para elas. Sua sinceridade pode estimular os adultos a orar com mais fé.
Sugestões criativas de oração podem ser úteis, mas Jesus demonstrou para nós que a prática da oração deve ser ensinada pelo exemplo. Por que Seus discípulos pediram a Jesus que os ensinasse a orar? Sem dúvida, porque eles o observavam e O escutavam fazendo disso uma prioridade. Se nossas igrejas não têm intercessores, provavelmente o lugar para começar é examinar nossa própria vida de oração. Desenvolvemos novos intercessores ao convidá-los a compartilhar momentos de oração apaixonada que estão organicamente no centro de nosso próprio serviço missionário.
________________________________

Tradução de Veredas Missionárias.
Sobre a oração, você pode baixar gratuitamente o e-book Páginas de Ouro da Oração, uma verdadeira antologia teórica e prática sobre este tema central da fé cristã. Clique AQUI.


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...