sábado, 18 de maio de 2019

Relatório Como Ouvirão: As realidades e desafios missionários do Brasil e do Mundo - Baixe grátis


O Relatório Como Ouvirão é uma iniciativa inovadora do Departamento de Pesquisas da Missão Juvep, através do pesquisador Alisson Gomes de Medeiros. Nele, o leitor encontrará informações sobre os principais desafios missionários, organizados em duas partes. Na primeira parte estão as informações referente ao mundo e suas principais realidades. Já a segunda parte do relatório é dedicado aos principais desafios do Brasil.
O Relatório Como Ouvirão surge com o objetivo de apresentar um panorama dos principais desafios missionários e do avanço do Evangelho no Brasil e no mundo, para promover maior conhecimento dos desafios existentes, suprir às igrejas, professores de seminários, agências, mobilizadores e líderes de missões com informações estratégicas, e para encorajar novas iniciativas e oração em favor dos desafios apresentados.
O Relatório traz em suas páginas, de maneira especial, 32 mapas, 27 gráficos e 15 tabelas. Todo esse material visual está disponível para download gratuito em um arquivo no formato PowerPoint, com as imagens em alta resolução. De maneira que você possa usar esses recursos em suas aulas, palestras e reuniões, multiplicando assim o número daqueles que ouvirão sobre esses desafios.
Inicialmente, desejamos lançar uma nova edição a cada ano. Sugestões de novos temas são muito bem vindos, bem como, atualizações das informações apresentadas, e feedback sobre possíveis erros nos dados.
Louvamos a Deus que permitiu elaborarmos esse material e disponibilizá-lo a igreja evangélica brasileira. Esperamos Nele que muitas pessoas sejam mobilizadas efetivamente para missões com o apoio de suas igrejas.

O link para o download é www.comoouvirao.com.br/rco

terça-feira, 14 de maio de 2019

A glória de ser missionário



Luiz M. Ortiz

Nenhuma empresa no mundo enfrenta tantos obstáculos como a Obra de Deus, mas também é verdade que nenhuma outra empresa no mundo obtém mais triunfos e vitórias com resultados eternos que a Obra de Deus.
Nenhuma tarefa na Obra de Deus é mais obstaculizada, combatida, perseguida, pouco reconhecida e menos recompensada que a Obra Missionária nos campos estrangeiros. Desde que uma pessoa diz que recebeu um chamamento para ira um pais estrangeiro, começa a ser mal-entendida, malquerida, obstaculizada, combatida e perseguida.
Quando sai para o campo missionário, abandonando seu lar, seu ambiente, suas amizades, a pessoa se encontra sozinha, esquecida, enfrentando os mais duros trabalhos, sem o estímulo oportuno, sem os meios adequados, sem os fundos necessários. Tem que suportar semanas sem comer, sem os companheiros de sempre, fadigada pela indiferença, acossada pela nostalgia, ferida pela ingratidão. Quando volta a seu país, onde acha que encontrará um pouco de fôlego e compreensão, já ali é como um estrangeiro, foi relegada, é observado com suspeita e desconfiança, é tratado com desconsideração e mesmo pode ser considerada uma ameaça.
• Se não faz nada, falta ação
• Se faz alguma coisa, é ação demais.
• Se não diz nada, falta expressão.
• Se diz alguma coisa, não tem razão.
• Se volta jovem, perde a visão.
• Se volta maduro, não tem ocasião.
• Se volta idoso, pano paredão.
Todas estas coisas que para o superficial, o cobiçoso e o ambicioso são desvantagens que despreza e recusa, para o verdadeiro missionário são precisamente suas glórias, suas riquezas, seu caudal. Glórias, riqueza e caudal que não mudam pelas posições nem pelas hierarquias dos que os menosprezam e fustigam.
O verdadeiro missionário não poderá ser outra coisa. Sua vida e atividades giram em torno a esse chamamento e a essa paixão. O verdadeiro missionário pode suportar tudo, menos que queiram desviá-lo de sua vocação divina. O verdadeiro missionário está disposto às grandes renúncias, menos a renunciara seu chamamento. O verdadeiro missionário sabe que Deus o chamou, e seu chamamento e seu ministério estão por acima de homens e coisas. O verdadeiro missionário vive sua missão, e esta é uma obrigação imposta (1 Coríntios 9:16), que não pode recusar nem abandona O verdadeiro missionário compreende que a tarefa suprema da Igreja é a evangelização do mundo, e para esse fim decidiu e rendeu sua vida. O verdadeiro missionário não antepõe nenhum outro interesse ou relação ao supremo interesse da salvação das almas e à indispensável relação com seu Mestre, a quem ama, serve e obedece. O verdadeiro missionário não pode ocultar nem calar, tem que sofrer, mas essas são suas glórias, pois "o discípulo não é superior a seu mestre".
Por estas firmes convicções e poderosas razões é que o verdadeiro missionário não pode ocultar nem calar, tem que sofrer, mas essas são suas glórias, pois "não é o discípulo mais do que o mestre, nem o servo mais do que o seu senhor' (Mateus 10:24). Como com seu Senhor, também é julgado e vestido com roupas da crítica malsã. É cuspido com palavras de agravo. É obrigado a carregar a cruz do descrédito. É sepultado na tumba do menosprezo e o esquecimento.
Mas assim como seu Mestre ressuscitou no terceiro dia, o verdadeiro missionário ressuscita todos os dias, porque todos os dias é julgado, crucificado, sepultado, cumprindo-se assim real e diariamente as palavras daquele outro grande missionário, o apóstolo Paulo, que escreveu: "Em tudo somos atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desanimados. Perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos; trazendo sempre por toda a parte a mortificação do Senhor Jesus no corpo, para que a vida de Jesus se manifeste também no nosso corpo; e assim nós, que vivemos, estamos sempre entregues à morte por amor de Jesus, para que a vida de Jesus se manifeste também na nossa carne mortal. De maneira que em nós opera a morte, mas em vós a vida" (2 Coríntios 4:8-12).
Por isso o verdadeiro missionário se levanta a cada dia com nova vida, novas forças, novo entusiasmo, nova visão, nova determinação; oferecendo visão, forças e vida àqueles que ele ministra.
Quando Alexandre o Grande perguntou ao sábio sirgo Diógenes: "O que quer de mim?”, este respondeu: "Não me tires o que não me podes dar!".
E o apóstolo Paulo disse: "Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo. E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que prisca ganhara Cristo" (Filipenses 3:7-8).

Fonte: Revista Impacto Evangelístico 776 / Set 2018 (edição em português).

quarta-feira, 1 de maio de 2019

Páginas de Ouro da Oração - Mil citações, 150 esboços de sermão e muitos outros recursos num livro gratuito


Uma antologia é fundamentalmente um filtro e uma espécie de condensador (meta)literário. Por seu caráter de antologia, e por antologiar gêneros diversos, como frases, sermões e orações, agregando a isso outros recursos práticos, este humilde e gratuito livro, que circula apenas em formato eletrônico, se configura num dos mais significativos livros sobre a Oração já publicados em língua portuguesa. 
Nosso objetivo, ao nos apoiarmos nos ombros de gigantes e usufruirmos dos recursos da lavra dos mais diversos irmãos e ministérios, não é trazer prejuízo a qualquer, mas prestar um serviço à Igreja de Cristo. E cumprir a vocação da literatura cristã de ofertar o melhor conteúdo possível ao máximo de pessoas possíveis, da maneira mais graciosa possível, rendendo nisso glórias ao Deus vivo, de onde todo o bem emana.
Estão aqui coligidas em torno de mil citações, de autores os mais diversos da cristandade, citações divididas em duas partes: Frases Gerais sobre a Oração e Frases sobre a importância da Oração nas obras de Evangelização e Missões.
Para além disso, coligimos 150 esboços de sermões sobre o tema da Oração. Tais esboços, claro esteja, prestam-se igualmente como estudos bíblicos, muito oportunos para os momentos devocionais em particular ou em grupo.
Coligimos ainda trechos de orações de grandes nomes do cristianismo, desde Pais da Igreja como Clemente de Roma até nomes recentes como Martin Luther King. Tais textos não devem ser tomados como modelos rijos e nem prestam-se a objetos para a repetição, mas objetivam apenas ilustrar e aclarar aspectos da oração e dar notícia da devoção e correição de fé de nossos co-herdeiros da graça de Cristo.
Como referido, agregamos a este livro recursos outros que poderão auxiliar todos aqueles que trilham os caminhos da comunhão divina através da oração. Concordância Bíblica Exaustiva, Datas Comemorativas para a Intercessão específica, um modelo de Diário de Oração e outros recursos, são itens que irão enriquecer a devoção do leitor.
Oração é oração praticada; sua ciência é quase toda ela empírica, desenvolvida pelo contato dos joelhos no chão e a abertura de coração.
Que este humilde livro, mais do que agregar conhecimento teórico, enriqueça seu ferramental prático e lhe constranja a orar mais e melhor, crescendo de fé em fé, até assenhorear-se de todas as promessas de Deus a que só temos acesso através da oração.
Compartilhe este livro, sempre gratuitamente, com todos os irmãos ao seu alcance.

Sammis Reachers
Organizador

PARA BAIXAR O LIVRO PELO SITE GOOGLE DRIVE, CLIQUE AQUI.


terça-feira, 23 de abril de 2019

Oito esboços de sermões missionários - Sammis Reachers



Estamos trabalhando numa antologia de esboços missionários, da lavra de diversos autores. Nesse ínterim, acabamos por elaborar também, por nossa conta e risco, oito pequenos esboços no tema.
Perceba que tais esboços são apenas indicações, linhas de reflexão, e que você, caso queira utilizá-los, poderá os ampliar, encurtar e adaptar da maneira que o Senhor lhe inspirar. Tais esboços prestam-se também como pequenos estudos bíblicos, para seu momento devocional a sós ou em grupo.

Sammis Reachers


Noli me tangere (Não me toques) – Jo 20.17

Recomendou-lhe Jesus: Não me detenhas; porque ainda não subi para meu Pai, mas vai ter com os meus irmãos e dize-lhes: Subo para meu Pai e vosso Pai, para meu Deus e vosso Deus” (Jo 20.17).

Jesus tinha uma obra a fazer, a culminação e conclusão de Sua missão, ao retornar ao Pai. Maria tentou impedi-lo, no que foi repreendida (“não me detenhas”, ou “não me toques”). Muitos cristãos podem tentar, por querer ou mesmo “sem querer”, impedir, desanimar ou desviar o missionário de sua missão – missão que é não apenas dele, mas de cada um de nós, pois todos somos emissários (enviados) de Cristo.

1.O covarde tentará parar o missionário:
a. Israel teme a Golias e desacredita a Davi - 1Sm 17.23-33.
b. Josué, Calebe e os espias covardes de Israel - Nm 13.30-33.
c. Ainda: Hb 3.38; 2Tm 1.7; Ap 21.8

2.O carnal tentará parar o missionário:
a. Eliseu e seu ajudante amedrontado - 2Re 6.15-17.
b. Pedro questiona Jesus sobre o fato dEle ter de morrer e é repreendido duramente: Mt 16.21-23.
c. Ainda: Rm 8.5; 1Co 2.14; 2 Co 10.3,4.

3.O avarento tentará parar o missionário:
a. Jovem rico, crente e cumpridor da Lei, prefere suas riquezas terrenas à Cristo - Lc 18.22,23.
b. Ananias e Safira queriam apresentar-se como perfeitos contribuintes da Obra de Deus, que dão tudo o que podem, mas retiveram em segredo parte do lucro: At 5.1-10.
c. Ainda: Jr 6.13; Ez 33.31; Rm 16.3-7; Ef 5.3.

4.O procrastinador tentará parar o missionário:
a. Discípulo deseja priorizar o que é pó e deixar para depois o que é eterno: Mt 8.21,22.
b. Terá, pai de Abraão, propusera-se a ir para Canaã (futura terra da Promessa), mas parou em Harã e lá ficou até morrer – Gn 11.31,32.
c. Ainda: Pv 27.1; Ec 11.4; Ef 5.15,16; 2Ts 3.11 (preguiçoso).

5.O invejoso tentará desanimar (diminuir) o missionário:
a. José e a inveja de seus irmãos - Gn 37.4-11.
b. Saul, sendo rei, inveja a Davi por suas conquistas em batalha - 1Sm 18.6-9.
c. Ainda: Pv 14.30; Pv 27.4; Gl 5.26; Tg 3.16.




As três missões da igreja

1. Salvar o perdido. Mt 28.19,20; Is 61.1-3; Lc 10.1,2; Jo 20.21; Rm 10.13-15.
2. Salvar o que se perdeu (desviou). Lc 15; Tg 5.19,20; Gl 6.1; Hb 5.2; 1Pe 4.8.
3. Conservar o que já está salvo. At 20.28; Hb 3.13,14; Hb 3.6; Tt 1.6-9; 1Pe 4.10.




Imperativos Missionários – Mt 28

Um esboço baseado na frase do teólogo John Stott: “Sua autoridade na terra nos desafia a ir a todas as nações, Sua autoridade no céu nos dá a única esperança da vitória, e Sua presença em nós não nos deixa outra escolha.”

1. Sua autoridade na terra nos desafia a ir a todas as nações
a. Mt 28.18: “E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra.”
b. Mt 28.19: "Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo.”
c. Sl 2.8: “Pede-me, e te darei as nações como herança e os confins da terra como tua propriedade.”

2. Sua autoridade no céu nos dá a única esperança da vitória
a. 1Pe 3.22: “O qual está à destra de Deus, tendo subido ao céu, havendo-se-lhe sujeitado os anjos, e as autoridades, e as potências.”
b. Cl 1.16-20: “Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele. E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele. E ele é a cabeça do corpo, da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência. Porque foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse, e que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus.”
c. Rm 8.34: “Quem é que condena? Pois é Cristo quem morreu, ou antes quem ressuscitou dentre os mortos, o qual está à direita de Deus, e também intercede por nós.”

3. Sua presença em nós não nos deixa outra escolha
a. At 1.8: “Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra.”
b. 2Tm 1.7: “Pois Deus não nos deu espírito de covardia, mas de poder, de amor e de equilíbrio.”
c. Mt 28.20b: “E eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.”




Ezequiel no vale, figura do Missionário – Ez 37

1. Recebeu um chamado – v.1 (1Sm 3.3-11; Is 6.1-8; Mt 4.18-22; Mt 28.19,20).
2. Deslocou-se – v.1,2 (Jn 3.1a; Mc 6.12; Lc 10.1-17; At 13.1).
3. Proclamou a Palavra – v.4-7,10 (Jn 3.1-3; Mc 6.12; At 13.4,5; At 14.1).
4. Deus operou – v.7,8,10 (Jn 3.10; Mc 6.13; Lc 10.17; At 13.9).




Todos somos chamados a semear, mas são dois os tipos de semeador

O semeador fiel oferece-se ao trabalho, mesmo sacrificial: 1Sm 17.22-51; Is 6.1-8; Dn 3.12-26; At 21.10-14; 2Co 11.23-32.
O semeador infiel acovarda-se: Jn 1-4; Mt 25.15,18,24-30; Lc 9.62; 2Tm 1.7; Hb 10.38.

O semeador fiel santifica-se: Js 3.5; Dn 9.3; Gl 1.15-18; Ef 11.4; 1Pe 1.14-16.
O semeador infiel faz a obra de qualquer maneira: Gn 4.1-7; Lv 10.1,2; 1Cr 13.9,10; Jr 48.10; Tg 1.22.

O semeador fiel é liberal e dispõe-se a doar seu melhor: 2Sm 24.24; Mc 12.41-44; Lc 19.8; Rm 16.3-7; Fp 4.14-19.
O semeador infiel é avarento e deseja vantagens: 1Sm 8.1-3; 2Rs 5.20-27; Mc 12.44a; At 5.1-10; Ap 3.17,18.




Cumprindo o Ide

1. O que fazer: “Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.” - Mc 16.15 (Sl 96.3; Is 58.6-10; Rm 10.13-15).

2. Quando fazer: “Pela manhã semeia a tua semente, e à tarde não retenhas a tua mão; pois tu não sabes qual das duas prosperará, se esta, se aquela, ou se ambas serão, igualmente boas.” - Ec 11.6 (Os 10.12; 2Co 9.6; 2Tm 4.2).

3. O que pedir: “Pede-me, e te darei as nações como herança e os confins da terra como tua propriedade.” - Sl 2.8. (Ex 32.30-35; 2Cr 1.7-12; Mt 9.37,38).

4. Como pedir: “Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito.” - Jo 15.7 (Jr 33.3; Mt 7.7-11; Mt 17.19-21).

5. Em quem fiar-se para executar tal empresa: “Ora, aquele que dá a semente ao que semeia, e pão para comer, também dará e multiplicará a vossa sementeira, e aumentará os frutos da vossa justiça.” - 2Co 9.10,11 (Is 41.10-14; Mt 28.20b; Lc 12.11,12).




A Trindade em Missões

1. O alvo de Missões: A glória de Deus – Sl 117; Sl 72.11
2. A base de Missões: A cruz de Cristo – 1Co 1.17-23
3. O dom de Missões: O poder do Espírito Santo – At 1.8
(adaptado)




Grande Comissão, Grande Cooperação

A obra de Deus deve ser feita em cooperação pelos seus servos. Até mesmo olhar para bandeiras denominacionais é vergonhoso, pois para cumprir seus propósitos Deus já utilizou reis ímpios, prostitutas e até mesmo uma mula, enquanto nós levantamos impedimentos aos domésticos da fé. A Grande Comissão é tarefa gigantesca; sem o Espírito de Deus e sem unirmo-nos em cooperação plena, tal ordem jamais será cumprida. Consideremos a frase de John Stott, falando sobre a cristandade: “No essencial, unidade; no não essencial, flexibilidade; em todas as coisas, o amor.”
Cooperemos com cada irmão e igreja a nosso alcance, pois:

a. Cooperar é obedecer a Deus (ainda que seja um sacrifício): “... não negligencieis a contínua prática do bem e a mútua cooperação; pois é desses sacrifícios que Deus muito se alegra.” Hb 13.16. Ainda: Ef 4.2-6

b. Cooperar é agradar a Deus: “Oh! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união!” Sl 133.1. Ainda: Jo 11.22,23

c. Cooperar é aumentar a fazenda de Deus: “E o que ceifa recebe galardão e ajunta fruto para a vida eterna, para que, assim o que semeia como o que ceifa, ambos se regozijem. Porque nisso é verdadeiro o ditado: Um é o que semeia, e outro, o que ceifa. Eu vos enviei a ceifar onde vós não trabalhastes; outros trabalharam, e vós entrastes no seu trabalho.” Jo 4.36-38. Ainda: 1Co 3.4-9

c. Cooperar com a igreja é a única forma de ser igreja: “Então, enquanto temos tempo, façamos bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé.” Gl 6.10. Ainda: Rm 12.4-5

d. Um reino dividido não subsistirá: “Se um reino estiver dividido contra si mesmo, tal reino não pode subsistir; se uma casa estiver dividida contra si mesma, tal casa não poderá subsistir.” Mc 3.24,25. Ainda Lc 16.8

Sammis Reachers


quarta-feira, 17 de abril de 2019

A Missão cristã como Pregação



A missão cristã começa com a pregação. O papel desempenhado pelos profetas do Antigo Testamento é continuado pelos pregadores do evangelho. Logo no início do Novo Testamento, aparece João Batista pregando no deserto para cumprir a missão de preparar o mundo para a chegada do Messias (Mt 3.1-2).
Jesus Cristo também começa a cumprir sua missão como pregador. Logo após o batismo e a tentação no deserto, diz a Bíblia que "daí por diante passou Jesus a pregar..." (Mt 4.17). O Salvador da humanidade não inventou um método mais
Sofisticado para cumprir a missão de salvar o mundo, mas utilizou o mesmo método que ele instituíra para os profetas do passado e tornou-se um pregador.
Os apóstolos também não tiveram dúvidas nem questionaram o método da pregação. Tinham aprendido com o próprio Cristo que a missão evangélica devia ser cumprida com a pregação e, mesmo sob perseguição, "iam por toda parte pregando a palavra" (At 8.4).
Após a era apostólica, ainda nos primórdios do cristianismo, os pais da igreja deram continuidade à pregação como forma de cumprimento da missão.
Muitos deles usaram a pregação como defesa da fé e da doutrina contra as heresias dos primeiros séculos e também como defesa do cristianismo perante as autoridades. Tertuliano, Cipriano, Justino Mártir, Clemente de Alexandria, Orígenes e Jerônimo estão entre os que cumpriram a missão por meio da pregação. O mesmo fizeram Ambrósio, Agostinho, João Crisóstomo e outros a partir do quarto século da era cristã."
A Reforma protestante tornou-se o palco de verdadeiros heróis da pregação bíblica, em diferentes países do continente europeu. João Wycliff cumpriu a missão de pregador da Reforma na Inglaterra, Martinho Lutero pregou a Reforma na Alemanha, João Huss e Jerônimo, na Boêmia, hoje República Tcheca, João Calvino, na Suíça, e muitos outros.
No despertamento religioso dos séculosXVIII e XIX, o evangelho foi exaltado pela boca de vários expoentes da pregação bíblica. Entre eles figuram João Wesley (1703-1791), que deu origem ao metodismo, Charles Spurgeon (1834-1892), pregador batista da Inglaterra, considerado o "príncipe dos pregadores", e Dwight Moody (1837-1899), que deu origem a uma nova ênfase evangelística e de avivamento nos Estados Unidos e na Inglaterra.
Para citar um exemplo contemporâneo já apresentado anteriormente em minha experiência, Billy Graham, da Igreja Batista, é o pregador evangélico que tem falado ao maior número de ouvintes em toda a história da humanidade, por meio de suas cruzadas evangelísticas." Por mais de cinquenta anos, Billy Graham pregou o evangelho face a face para mais de cem milhões de pessoas em todos os continentes, de acordo com estatísticas de sua equipe. Acrescentando as pessoas alcançadas por rádio, televisão e satélite, esse número sobe para cerca de dois bilhões de pessoas que o ouviram ao longo de sua vida.
Em maior ou menor escala, inúmeros outros pregadores mantiveram acesa a chama da pregação bíblica ao longo da História. Com essa visão da prioridade da pregação, vejamos no próximo capítulo diferentes métodos de extrair a mensagem do texto bíblico.

Robson M. Marinho

No livro A arte de pregar: Como alcançar o ouvinte pós moderno (Vida Nova).


Notas:
8 Michael Duduit, org., op. cit., p. 21-24.
9 Idem, p. 44-46.

quinta-feira, 11 de abril de 2019

Coletânea de Sermões Missionários - Envie seu esboço para avaliação


ESBOÇOS DE SERMÕES MISSIONÁRIOS

Caros irmãos, dentro de nossa proposta de prover literaturas variadas e GRATUITAS para auxiliar o avanço da visão e da obra missionária em nosso país e em nossa língua, estamos organizando mais um livro (e-book) gratuito e de proposta inédita: Uma COLETÂNEA de ESBOÇOS de SERMÕES MISSIONÁRIOS (que falem sobre as obras de Missões e Evangelização).
Assim, se você possui ESBOÇO de sermão (pregação) dentro da temática abordada, por favor nos envie para que ela possa ser avaliada e venha eventualmente a compor a obra. Os nomes dos autores constarão junto a cada esboço.
Envie seus textos para o e-mail: sreachers@gmail.com
ABAIXO apresento dois modelos de ESBOÇOS de sermão para que vocês possam ter uma melhor noção do que está sendo coligido. Seu esboço pode ser maior que os exemplificados, mas deve ater-se ao limite de 40 linhas (fonte Arial tamanho 12).
_______________________________

A pregação da colheita Gn 8.22

1. Ela anuncia a fidelidade de Deus (Gn 8.22).
2. Ela apregoa a grande bondade de Deus (Sl 65.10-12).
3. Eia enche o coração de alegria (ls 9.3).
4. Ela também traz decepções (Mt 13.30).
5.Ela nos exorta a pedir por ceifeiros (Mt 9.37-38).
6. Ela nos compromete a sermos semeadores fiéis (Gl 6.7-8).
7. Ela é uma séria pregação para os não salvos (Jr 8.20).
Georg Brinke – A Bíblia do Pregador
_______________________________

Por Que Pregar O Evangelho

1. Porque é ordem de Jesus Cristo. - Mc 16:15.
2. Porque o homem somente pode ser salvo crendo no Evangelho. - Rm 1:16.
3. Porque se não pregarmos o Evangelho seremos, até certo ponto culpados da perdição de nossos semelhantes. – Ez 33:8.
4. Porque, pregando o Evangelho, estamos gozando de um privilégio que foi negado aos próprios anjos. - 1Pe 1:22.
5. Porque, pregando o Evangelho, estamos cooperando com Deus na obra de redenção dos perdidos. - 1Co 1:21.
6. Porque, pregando o Evangelho, estamos apressando a vinda de Jesus Cristo a este mundo. - Mt 24:14.
D. Peixoto da Silva – Mil Esboços para Sermões

quarta-feira, 3 de abril de 2019

A Abelha de Salomão – Fatos sobre a perseguição ao cristianismo



De acordo com a tradição Judaica, quando a Rainha Sabá foi visitar o Rei Salomão em Jerusalém, ela decidiu colocar à prova sua famosa sabedoria. Ela montou dois arranjos de flores, um com flores verdadeiras e outro artificial. Ela desafiou o Rei a distinguir o arranjo verdadeiro do falso sem chegar perto deles. O Rei Salomão, como diz a tradição, abriu urna janela e logo em seguida uma abelha entrou voando. Claro, ela foi diretamente para as flores verdadeiras em busca do néctar e assim Salomão pôde identificar o verdadeiro e o falso.
O ano de 2018 foi um período quando se tornou muito difícil distinguir a verdade da mentira, ou certo do errado. As velhas certezas se foram e às vezes parece que a única coisa que nós temos certeza é do crescimento da incerteza em nosso tempo. No mundo Ocidental, nossa cultura está entrando em colapso. Princípios que foram construídos em valores Bíblicos e Judaico Cristão estão desaparecendo rapidamente sob o ataque do humanismo secular. No mundo não Ocidental, novas ideologias baseadas no totalitarismo religioso ou nacionalista estão crescendo rapidamente. Em todas estas situações a Igreja está cada vez mais sob opressão. E nesta nova ordem, é difícil saber em quais países se pode confiar ... ou neste caso, quais instituições, igrejas ou líderes Cristãos.
No caso de Aasia Bibi, por exemplo, o governo Britânico, guiado por urna Primeira Ministra que é filha de um vigário, deixou claro que esta mulher Cristã do Paquistão não e bem-vinda no Reino Unido. Por outro lado, um enviado comercial Britânico renunciou seu cargo, em partes pela recusa do governo em receber Aasia Bibi; ele é um muçulmano, e filho de um imame (título muçulmano que designa o sacerdote). Países que já se orgulharam de sua liberdade religiosa e dos direitos humanos e continuam falando, mas muitas vezes não agem como falam.
A Arábia Saudita é um país onde é tão perigoso deixar o Islamismo e seguir a Cristo que Cristãos Sauditas que s têm manter sua fé completamente em segredo por medo de serem executados. Certamente que o Irã torna a vida de Cristãos muito difícil e muitos foram presos, mas tem uma igreja de convertidos do Islamismo funcionando com um número estimado entre 350.000 a um milhão de membros (embora algumas estimativas cheguem a três milhões), que se reúnem para cultos como congregação, e somente uma pessoa foi executada. Mesmo assim a Arábia Saudita é reconhecida pelo Ocidente e o Irã é condenado.
Hoje, Cristãos se encontram cada vez mais desorientados. Uma nova onda anti Cristã de marginalização, discriminação e perseguição está se desenvolvendo, e nós temos dificuldade em saber como responder. Vemos a Igreja crescendo em lugares opressores como Irã, índia e China. Vemos a Igreja morrendo mesmo com a liberdade do Ocidente. Alguns Cristãos no Ocidente vivem suas respeitáveis vidas, ainda alheios à enxurrada que está chegando, e perguntam qual é o problema. Outros enxergam o perigo, e querem fugir - mas para onde? Outros ainda querem ficar e lutar, mas como? No Velho Testamento lemos sobre o homem de Issacar que entendeu as circunstâncias e sabia o que os Cristãos deveriam fazer (1 Crônicas 12:32). Nos dias de hoje existe uma grande necessidade de tais homens e mulheres — àqueles que podem entender nosso tempo, que conheçam os pensamentos de Deus para Seu povo em nossa época, que possam discernir a verdade entre um monte de mentiras e notícias falsas.
Jesus disse, "Eu sou ... a verdade." (João 14:6) A palavra Grega para verdade é aletheia que pode significar na verdade o oposto a ouropel (aparência enganosa de luxo), falsidade e fingimento. Melhor do que qualquer abelha, nós temos Cristo, a sabedoria de Deus (1 Coríntios 1:24) que pode verdadeiramente nos guiar nesta realidade e em Seus caminhos. Então saberemos como deveremos viver, como devemos servi-Lo e como devemos servir e cuidar de Seu povo perseguido ao redor do mundo.


Editorial da revista AjudaBarnabas, #1 de Jan/Fev 2019. - http://barnabasfund.org/brasil

quinta-feira, 28 de março de 2019

Sirva a Deus com o que você tem em mãos



O que você tem na sua mão? 

Minha esposa e eu tivemos o privilégio de começar uma igreja hispana em Greenville, Texas, EUA. Um casal de aposentados, Abel e Bety Partida, e sua filha Ainda Collin, formaram o grupo inicial daquela igreja. Apesar da sua idade a irmã Bety não cessava de fazer contatos e de evangelizar o povo hispano de Greenville. Ela costumava dizer:
— Deus deu a Moisés uma vara de pastor e a mim um telefone!
Então ela ligava para as pessoas, orava, desafiava, convidava, etc. Ela tinha todas as desculpas do mundo para ficar sentada em casa dizendo para si mesma:
— Eu sou idosa, não tenho carro e ninguém que me leve para visitar ou evangelizar! Eu criei meus filhos e agora chegou a hora de descansar.
O seu amor por Jesus a impedia de acomodar-se. Ela servia a Deus com o que tinha na sua mão — o telefone! E você, o que tem na sua mão?

Roberto Silvado

terça-feira, 19 de março de 2019

Guia de Oração CLAME A DEUS PELA CIDADE - Baixe e participe



Olá irmãos,
Essa semana o pessoal da Cru terminou a tradução de um guia de oração criado pelo Steve Hawthorne, co-editor do Curso Perspectivas, e fundador de WayMakers. É um guia que leva as pessoas a orarem pela renovação da igreja, pelas pessoas sem acesso ao evangelho, para trazer que Deus revele a sua glória para as pessoas, para que justiça seja estabelecida em nossas cidades, para que haja paz em nossos relacionamentos, e para receberem a vinda do nosso Senhor Jesus.

Mesmo que ele já tenha começado (em relação ao calendário adotado), creio que pode ser útil para muitos de nós.

Leia, utilize, compartilhe!

PARA BAIXAR O SEU GUIA PELO GOOGLE DRIVE, CLIQUE AQUI.

Via Kevin Boot

segunda-feira, 4 de março de 2019

Evangelismo, Nossa Maior Responsabilidade - Ray Comfort


No final de Dezembro de 1996, uma grande família se reuniu em Los Angeles para uma alegre ocasião em que abriam presentes de Natal. Era uma família grande pois era o produto de dois casamentos. Tinha tanta gente junta naquela  noite, que  cinco das  crianças dormiram na  garagem. Era uma estrutura adaptada que durante a noite fria era esquentada por um aquecedor elétrico colocado perto da porta.  
Durante as primeiras horas da manhã, o aparelho pegou fogo repentinamente, fechando a passagem da porta. Em segundos o local ficou parecendo o inferno. A desesperada ligação para 911 revelou o terror daquele momento. Uma das crianças pôde ser ouvida gritando, “Eu estou  em chamas” o pai desesperado em vão correu para dentro das chamas para  tentar salvar seus queridos filhos. Ele teve queimaduras de 50% no corpo. Tragicamente, todas as cinco crianças morreram queimadas. Elas morreram porque as barras de ferro nas janelas da garagem impediram que  escapassem. Havia somente uma porta que foi bloqueada pelas chamas. 
Volte no tempo, até alguns minutos antes do aparelho ficar em chamas. Você consegue com dificuldade enxergar na escuridão o semblante tranqüilo de cinco crianças dormindo. Sabendo que a qualquer momento o lugar vai explodir e  se transformar em um inferno, queimando a carne das crianças aterrorizadas,  você  conseguiria em sã consciência virar-lhes as  costas  e ir embora? Não! Você precisa acordá-los e avisá-los para correr da morte! 
 O mundo dorme tranquilamente na escuridão da ignorância. Existe somente uma porta pela qual eles possam escapar da morte. As barras de ferro do pecado estão impedindo a sua salvação, e ao mesmo tempo, chamas de fogo clamam a Justiça Eterna. Que dia terrível! O Dia do Julgamento!  O fogo da ira do Deus todo-poderoso queimará pela eternidade. Tem sido confiado à igreja o trabalho de acordá-los antes que seja tarde demais. Não podemos virar as costas e ir embora sem tentar. Veja como o pai corre dentro das chamas. O amor dele não conheceu  limites. Da mesma forma, a nossa devoção para o importante serviço que Deus nos tem dado será na exata proporção com que amamos os perdidos. Existem somente alguns de nós  que correm para dentro das  chamas para avisar a eles  para que corram (Lucas 10:12).  Por favor, seja um deles. Realmente não temos escolha. O Apóstolo Paulo disse, “Ai de mim, se não anunciar o evangelho!” (1 Coríntios  9:16).  
Foi o “Príncipe dos pregadores”, Charles Spurgeon, quem disse estas palavras: “ Você não tem  o desejo de ver outros serem salvos? Então, você mesmo não é salvo. Esteja certo disso.” O Cristão não pode ser apático no que diz respeito à salvação dos perdidos, pois o amor de Deus dentro dele irá impulsioná-lo a buscar e salvar aqueles que estão perdidos. 
Provavelmente, você tem um tempo limitado após a sua conversão para impactar seus amigos e a família com o Evangelho. Depois  do choque  inicial da  sua conversão, eles o  colocarão em uma
caixinha amarrada com fitas e o manterão  (com sua fé) a uma certa distância. Assim,  é muito importante que tire vantagem do pouco tempo que tem enquanto eles ainda o ouvem. Eis alguns  conselhos que evitarão grandes sofrimentos: Logo após sua conversão, um amigo meu, agindo como um touro selvagem em uma loja de artigos de cristal quase faz um dano irreparável. Ele peitou sua mãe, seu pai e muitos de seus amigos para tomarem a “decisão por Jesus.” Ele foi sincero, zeloso, amoroso, bondoso e... estúpido. Não entendeu que a salvação não vem através de uma “decisão,” mas de arrependimento. e arrependimento é Deus quem dá(veja 2 Timóteo 2:25). A Bíblia ensina que ninguém pode vir a Jesus a não ser que Deus o “traga.” Se você for capaz de conseguir uma decisão mas sem convicção do pecado, quase certamente terminará com um falso convertido em mãos.  Em seu “zelo sem conhecimento”, ele na verdade inoculou as pessoas que tentava desesperadamente alcançar. Não há nada mais importante para você que a salvação daqueles que ama, e não pode estragar isso. Se o fizer, pode  descobrir    que não terá uma segunda chance. Ore por eles fervorosamente. Agradeça a Deus pela salvação deles. Deixe que vejam a sua fé. Deixe que sintam a sua bondade, seu amor genuíno e sua gentileza. Compre-lhes presentes sem nenhuma razão. Faça alguma tarefa, quando ninguém pedir. Faça o melhor que puder. Coloque-se na posição deles. Você sabe que encontrou a vida eterna. A morte perdeu o ferrão! Sua alegria é sem palavras – mas, o que eles vêem é que você passou por uma  lavagem cerebral e se tornou parte de um grupo estranho. Então, seus atos amorosos falarão mais alto que dez mil persuasivos sermões.  
Com estes pensamentos, evite um confronto verbal até ter o conhecimento que guiará o seu zelo. Ore por sabedoria e por sensibilidade para saber o tempo de Deus. Como você tem somente uma chance, então não perca a oportunidade. Relaxe e fique calmo. Caso contrário, poderá passar a vida inteira em arrependimento. Acredite. É melhor ouvir uma pessoa amada ou um amigo dizer: “Fale-me de sua fé em Jesus cristo”, do que você dizer: “Senta aí! Eu quero falar com você.” 
 É importante entender que devemos repartir nossa fé com os outros sempre que possível. E a Bíblia diz que existem somente dois momentos em que devemos fazer  isso:  a tempo e fora de tempo (II Timóteo 4:2). O Apóstolo Paulo suplicou  por oração por seu próprio testemunho pessoal. Ele disse: “Para que  me seja dada,confiança, para fazer notório  o ministério do evangelho, pelo qual sou embaixador em cadeias, para que possa falar dela livremente, como me convém falar” (Efésios 6:19-20).  
Lembre-se que você tem a séria responsabilidade de falar com os amados de outras pessoas. Muitas vezes, quando abre a boca para falar do evangelho, pode ser que você esteja sendo a resposta à sincera oração de outro Cristão. Talvez ele tenha pedido para Deus usar uma fiel testemunha para falar com seu amado pai ou amada mãe – e  você pode  ser a resposta à oração dele. Você é esta verdadeira e fiel testemunha que Deus quer usar. 
 Nunca perca de vista o mundo e todo o seu sofrimento. Mantenha o destino das pessoas que não tem Deus diante de seus olhos. Muitos de nós nos sentamos nos bancos estofados da igreja  e nos 
tornamos introvertidos. Nosso mundo se torna  um mosteiro sem paredes. Nossos amigos são confinados  apenas àqueles dentro da igreja, enquanto Jesus, era “amigo dos  pecadores.” Então, reserve um tempo para deliberadamente ser amigo dessas pessoas pelo amor de sua salvação. Lembre-se  que cada uma das pessoas que morre em pecado, tem hora marcada com o  Juiz do universo. O  Inferno abre grandemente sua terrível bocarra. Não há um chamado mais que exija mais responsabilidade do que ser confiado com o evangelho da salvação – trabalhando com Deus pela o eterno bem-estar de uma humanidade moribunda. 
 © Ray Comfort – www.LivingWaters.com  
Versão em português: www.EvangelismoBiblico.com.br

sábado, 23 de fevereiro de 2019

Missões de curto prazo, cursos, treinamentos e congressos missionários acontecendo pelo Brasil







Você pode servir no IBS (Missão MIAF, ÁFRICA) em Ministérios de Curto ou de Longo Prazo. 
Se quiser saber mais, escreva para candidato.sa@aimint.org




Capacitação para evangelismo de refugiados e muçulmanos
23 de março - palestra inaugural
10 a 13 de abril - primeiro módulo
08 a 11 de maio - segundo módulo
Durante a semana, encontros a noite e, aos sábados, durante o dia todo
Mais informações e inscrições +55 61 98147-2584



LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...