quinta-feira, 23 de maio de 2024

BEM-AVENTURADOS OS MISSIONÁRIOS (Uma reflexão)

 


BEM-AVENTURADOS OS MISSIONÁRIOS

O missionário e as bem-aventuranças de Mt 5.1-16

 

Bem-aventurados os pobres de espírito

Não há pobres de espírito entre os principais, pois a humildade não costuma habitar os píncaros. Os pobres de espírito estão no chão, varrendo o salão, alheios à disputa por cargo e comissão. Os pobres de espírito seguem o rastro do Espírito Santo, nele habitam, ouvem seu chamado e cumprem sua missão.

 

Bem-aventurados os que choram

Observar os campos brancos para a ceifa e chorar por ver o fruto se perder: aqui se fundam os missionários. Na lágrima que cai, na que persiste, na que leva a ir, ajuda a ficar, insta a não desistir. As lágrimas pela perdição eterna de um mundo são as principais das lágrimas, a arquitetura do servo, e missionário é aquele que primeiro as derrama. E sustenta seu caudal até a glória.

 

Bem-aventurados os mansos

É fácil ser ovelha em meio a ovelhas. Mas, lançar-se entre lobos, isso exige coragem, quase uma pré-disposição para o sacrifício, uma fidelidade acima do humanamente comum: Isso exige mansidão. Da coragem de entregar-se nas mãos do Oleiro e ir, descansar no navio enquanto ruge a fornalha fria da tormenta, desta mansidão confiante, se moldam missionários.

 

Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça

Doce é estar em segurança, na luz do Estado de direito. Mas como é duro cumprir a ordenança, abrir a boca em favor do que não pode falar! Do que tem seus direitos, espirituais e terrenos, vilipendiados! O que têm fome de tapar esta brecha que o pecado escancarou, não apenas em si e no seu arraial, mas lá na trincheira, na chaga do mundo, este sabe que só pode dessedentar-se cumprindo a comissão que o engajou.

 

Bem-aventurados os misericordiosos

Não há misericórdia maior do que buscar livrar os que avançam para a chama eterna. Pois ignorar que haverá chama é descuidar da misericórdia, é acovardar-se em prejuízo de si e do próximo. Atentar para o risco primeiro, e maior, e fundamentalmente único que jaz sobre os homens – a eterna danação –, e contra tal risco ofertar-se, holocausto vivo: Eis a bem-aventurança de um misericordioso. Eis a vereda missionária.

 

Bem-aventurados os puros de coração

É necessária pureza de coração para lançar-se em socorro do outro a quem nunca se viu, longe das glórias, recompensas, amigos e amparos visíveis. É necessária pureza de ânimo e de propósitos, para não abandonar o barco, o campo, a seara. Quem, senão os puros, para não duvidarem de Deus quando os homens, duvidosos, olvidarem o campo, a seara e, cegos de si, olvidarem aquele um dia por eles mesmos enviado?

 

Bem-aventurados os pacificadores

Adentrar outras regiões e outras culturas, levando a paz de Cristo e combatendo os erros que defrontar, alguns inimagináveis, com sabedoria e unção, medindo o cronos e o kairós, é ser fundamentalmente um pacificador, o principal deles. Avance com teus joelhos, formosos quando assomam sobre os montes, ó emissário de Cristo: “Eu vi Satanás caindo do céu como um raio”.

 

Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça

Como os que investem contra as fortalezas de Satanás sofrem perseguição! Aqueles que apenas as miram à segura distância, e vez por outra clamam: “Vá até lá, anjo do Senhor, e ajude”, quão seguros estão, tão longes da dor, tão longes de Deus. Mas aqueles que sabem e vivem que a missão não pertence a anjo algum, mas a homens fiéis, e lançam-se, e cuja vida é um suspense, um risco diário e noturno, oh, quão bem-aventurados são! Cumprem, na ação praticada e na sofrida, o que predisse Aquele de quem são os fiéis imitadores: “Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa.”

 

Bem-aventurado sejas, missionário, acervo das bem-aventuranças de Deus, delas o fiel depositário, bem-aventurada figura de barro, pequena e frágil, mas a mais aproximada de Cristo que a Terra, indigna, suporta os passos.

 

Sammis Reachers

Veredas Missionárias - https://veredasmissionarias.blogspot.com/


terça-feira, 14 de maio de 2024

Aprendendo com o extraordinário sucesso da Igreja Africana

 


Heather Tomlinson

www.christiantoday.com

Porque é que a fé em África floresceu lindamente, enquanto o Cristianismo Ocidental declina? Aqui estão quatro hábitos que devemos aprender com os nossos irmãos e irmãs africanos.

Muito se tem falado do rápido crescimento do Cristianismo em África em apenas um século. Existem muitas estatísticas que ilustram a mudança poderosa. Por exemplo, o Centro para o Estudo do Cristianismo Global informou que, em 2018, África tinha pela primeira vez mais cristãos do que qualquer outro continente (631 milhões). Enquanto em 1900 havia 9,6 milhões de cristãos, no ano 2000 havia 384 milhões, de acordo com o Centro para o Estudo do Cristianismo Global.

É claro que a África foi um dos primeiros lares da fé nos seus primeiros dias. Um dos nossos maiores teólogos, Santo Agostinho de Hipona, veio da África cristã primitiva, assim como outros importantes Padres da Igreja. No entanto, estas regiões foram na sua maioria subjugadas por conquistas islâmicas na viragem do século XX, com excepção da Etiópia e de minorias resilientes, como a Igreja Copta Ortodoxa baseada no Egito. As pessoas em outras regiões africanas seguiam principalmente as espiritualidades indígenas. O trabalho missionário cristão levou a uma expansão extraordinária por todo o continente que é comparativamente recente.

Talvez a estatística mais importante seja que o crescimento não se deve apenas às pessoas que se autodenominam cristãs – há também uma enorme diferença no nível de compromisso. Um estudo de 2018  do Pew Research Center descobriu que os africanos estão entre os cristãos mais comprometidos do mundo (sendo os menos, os europeus). Os africanos oram com mais frequência, frequentam serviços religiosos com mais regularidade e consideram a religião mais importante nas suas vidas do que os cristãos de outros lugares. "Pelo menos quatro em cada cinco cristãos na Nigéria, Libéria, Senegal, Camarões e Chade oram todos os dias, descobriu a pesquisa... em todos os países africanos pesquisados, mais de 60% dos cristãos dizem que frequentam a igreja pelo menos uma vez por semana", disse o relatório Pew's.

Recentemente entrevistei  o pastor Agu Irukwu, nascido na Nigéria, que lidera uma das maiores igrejas do Reino Unido, a Jesus House for All Nations. Ele cresceu e chegou à fé em sua terra natal, mas ministrou em Londres por muitos anos, e também teve uma visão das diferenças na cultura da igreja. Ele ofereceu algumas sugestões.

Oração

“Se há algo que eu recomendaria a qualquer cristão, seria que desenvolvesse uma forte vida de oração”, disse o pastor Agu. “Há também muito a aprender com as partes em desenvolvimento do mundo onde as igrejas estão a crescer, não apenas em África. Um compromisso com a oração e a crença de que Deus responde à oração – isso está profundamente enraizado na cultura da Igreja [africana].”

Há alguns anos, participei do retiro de fim de semana da minha igreja multicultural na época, em um grande centro cristão. Compartilhamos o grande espaço com uma igreja de maioria negra. Tenho uma lembrança vívida de ter ido tomar café da manhã por volta das 8h30, junto com meus colegas membros da igreja, com os olhos turvos, e fiquei envergonhado ao passarmos pela pequena sala que abrigava nossos irmãos e irmãs da igreja, de maioria negra. Eles estavam orando juntos com entusiasmo em uma pequena sala, intercedendo apaixonadamente como um grupo, e tinham feito isso com afinco desde de madrugada, quando ainda estávamos todos dormindo profundamente.

Jejum

Na cultura africana, o jejum é visto como muito importante, não apenas durante a Quaresma. “Você não pode fugir do incentivo que a Bíblia nos dá para jejuar, o que dificilmente existe em muitas igrejas ocidentais”, disse o Pastor Agu. Se houver um problema ou se Deus estiver sendo procurado, as igrejas africanas jejuarão. Por exemplo, uma  iniciativa ecumênica para a unidade na Nigéria no ano passado foi apoiada por 40 dias de jejum.

“Biblicamente entendido, o jejum é parceiro de uma intensificação da oração”, escreve Oyewole Akande, diácono da Igreja Bíblica Sovereign Grace, na Nigéria, para a The Gospel Coalition Africa . “É a decisão de reservar um período de tempo para se concentrar em trazer uma questão específica diante de Deus em oração. É remover todas as distrações, incluindo os prazeres necessários de comer e beber, para buscar a face de Deus com uma petição específica.

"Muitos de nós estamos muito confortáveis ​​neste mundo decaído, não sentindo nenhuma forte compulsão para nos desconectarmos dele. Assim, lutamos com a noção de que nosso próprio desconforto pode provocar a vontade de Deus."

Fé e positividade

Outra virtude que testemunho muitas vezes nos cristãos africanos é uma perspectiva positiva e optimista, ligada à fé em que Deus pode transformar para melhor qualquer situação difícil. “Acreditar que não há nada que Deus não possa fazer e estar cheio de esperança para o amanhã, não importa quão ruim seja o dia de hoje – [a igreja africana] está muito otimista a esse respeito”, disse o pastor Agu. Tomar a Bíblia ao pé da letra e confiar no amor de Deus e nas Suas promessas de agir são atributos louváveis ​​de muitos cristãos africanos.

Simplicidade

É um estereótipo negativo pensar em África como um lugar de pobreza: há africanos ricos e algumas partes das suas economias estão bem. Contudo, é justo dizer que há mais dinheiro circulando nos países ocidentais desenvolvidos. Poderia esta ser uma razão para a nossa relativa secura espiritual?

O cardeal Robert Sarah, o influente padre católico, escreveu palavras surpreendentes no seu livro God or Nothing: A Conversation on Faith. Fez comentários positivos sobre a pobreza – distinguindo-a da miséria, que deveríamos aliviar. “A pobreza é um valor cristão”, disse ele. “O pobre é alguém que sabe que, sozinho, não pode viver. Ele precisa de Deus e das outras pessoas para ser, florescer e crescer. Pelo contrário, os ricos não esperam nada de ninguém, sem invocar nem o próximo nem Deus. Neste sentido, a riqueza pode levar a uma grande tristeza e à verdadeira solidão humana ou a uma terrível pobreza espiritual”.

Talvez a igreja ocidental precise de reunir humildade e ouvir com mais atenção os nossos irmãos e irmãs africanos e a forma como eles praticam a sua fé? O pastor Agu enfatiza que a igreja ocidental também pode transmitir a sua própria sabedoria. Ele disse: "A beleza é quando [as duas culturas] se misturam; o que isso produz é tão lindo."

Heather Tomlinson é redatora freelance. Encontre o trabalho dela em www.heathertomlinson.substack.com  ou no twitter @heathertomli


quinta-feira, 2 de maio de 2024

19 de maio: Dia Internacional dos Não-Alcançados

 

Um terço do mundo está esperando para ouvir – é hora de agir!

Adoniram Judson, missionário do século 19 na Birmânia, foi um guerreiro de oração de primeiro grau. Ele disse: “Nunca orei com sinceridade e fervor por algo que não acontecesse... não importa quão distante fosse o dia. De alguma forma, de alguma forma – provavelmente a última que eu deveria ter imaginado – ela aconteceu.”  
 
Hoje pedimos que você ore especificamente para que indivíduos, famílias e igrejas em toda a América do Norte e ao redor do mundo se unam no domingo, 19 de maio, para orar pelos não alcançados.   19 de maio é o Dia Internacional dos Não Alcançados . E a nossa oração é que milhares e milhares reservem parte do seu dia, ou parte do seu culto de adoração, para orar para que o evangelho possa alcançar aqueles que nunca ouviram falar de Jesus.  
 
Por favor. Marque seu calendário. Converse com seu pastor. Incentive sua aula de Escola Dominical ou grupo de estudo bíblico. Vamos TODOS agir – e  orar .  

CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS E SE INSCREVER


“O ofício do cristão é orar!” — Assim disse Martinho Lutero, o líder da Reforma Protestante do século 16. Na causa dos Não Alcançados, é útil saber por quem orar e como orar.

É por isso que temos também o prazer de oferecer um Guia de Oração pelos Não Alcançados (EM INGLÊS), ilustrado. Este guia gratuito está sendo disponibilizado pela Advancing Native Missions — um dos membros da Aliança para os Não Alcançados. Através dele você viajará para nove regiões diferentes do mundo, aprenderá sobre alguns dos grupos de povos não alcançados de lá e terá pontos de oração específicos para aquela região.


Esperamos que este Guia o ajude a identificar uma região especial do mundo onde Deus deseja que você concentre suas orações para trazer as pessoas que vivem em trevas espirituais para a Luz de Jesus!

Lembre-se de fazer uma pausa e orar às 1:11 por aqueles que não têm acesso ao Evangelho. Para ver o grupo de pessoas não alcançadas do dia, visite o site da Aliança para os Não Alcançados. Basta clicar no botão abaixo.

sábado, 20 de abril de 2024

Eventos de Missões acontecendo pelo Brasil - Treinamentos, viagens, conferências

 Como fazemos regularmente, divulgamos aqui uma seleção de eventos - de treinamentos e cursos a viagens e conferências - focados em Missões.

Caso queira divulgar seu evento, envie as informações para nosso e-mail,  sreachers@gmail.com


Informações e inscrições: https://keepo.io/amtb/



A Missão ShareWord Global vai realizar no próximo dia 29 de abril mais uma reunião online de treinamento evangelístico gratuito.

Para participar *faça seu cadastro gratuitamente em*
Após este treinamento *você receberá gratuitamente 01 kit com 200 revistas para evangelização.*
Nos links abaixo você pode acessar para ler online cada uma das revistas e também pode compartilhar a vontade.
Para conhecer um pouco do abençoado trabalho desta missão acesse



Impacto Missionário



Informações e inscrição: https://linktr.ee/missao.kadosh



Local: Centro de Treinamento Missionário Shekinah.
Rua 19 de Agosto, 10. Vianópolis/GO.



Oficina de Capacitação do Ministério Transplante da Alegria
18 de Maio, das 16h às 20h
Inscrições nos cultos da PIB Trindade (São Gonçalo - RJ)
ou pelo whatsapp: (21) 99109-8510


Negócios com Missões
Cadastre-se agora: https://bamglobal.org/events/
P.S: o todo evento vai acontecer em inglês e não terá tradução.














Faça já a sua inscrição clicando aqui: @vocarebrasil



Culto de Oração Online
Link para participação na bio do Instagram
ou através do WhatsApp: (31) 9 9354-3184






Inscrições: https://sigue.movida-net.com/?lang=pt-br



Presença do missionário Mauro Bueno (Missões Urbanas)












domingo, 7 de abril de 2024

Peça teatral missionária: A Epidemia do "Não Posso"

 


I CENA

 

Preparo do palco — Colocar um cartaz com o nome do programa: providenciar um cartaz para o exame de vista, com as palavras: MUNDO, CRISTO, DAI, LUZ — cujo tamanho diminui de palavra para palavra. Providenciar alguns instrumentos que podem simular os verdadeiros: lapiseira ou caneta de metal servirá de termômetro; colher de sobremesa servirá de abaixador de língua, alicates de cutícula, lixa de metal para unhas etc. que serão colocados numa marmita de metal. No centro, haverá uma mesa, com um bloco de folhas brancas e uma caneta, para as receitas (estas já deverão estar prontas antecipadamente – datilografadas).

Personagens: Pastor (ou mobilizador), enfermeira, Dra. Fé, quatro pacientes, uma leitora e um trio para a música especial.

 

Pastor (entra muito preocupado) – Não sei o que fazer, estou muito preocupado. Meu Mestre colocou sob minha responsabilidade um grupo de cristãos, e todos foram atacados agora de uma terrível enfermidade: a epidemia do não posso. Semana após semana, não ouço outra coisa, além dos seus lamentos – não posso isso, não posso aquilo...

A doença se apresenta de diversas formas! Venho consultar a Dra. Fé e espero que esta não tarde em chegar, pois eu não sei qual o medicamento que devo aplicar-lhes. E se eles não melhorarem imediatamente, nossa igreja irá à ruína.

Enfermeira (entrando) – Que deseja o senhor (ou a senhora)?

Pastor – Trago alguns pacientes à Dra. Fé. Poderá ela atender-nos agora? Trata-se de um caso muitíssimo urgente.

Enfermeira – Pois não. Sente-se, por favor. A Dra. Fé chegará dentro de poucos minutos.

(Entra a Dra. Fé com sua maleta, trajando uniforme branco.)

Dra. Fé – Pronto, meu senhor. O que a traz aqui?

Pastor – Estou muito aflito, Dra. Os membros da minha igreja foram atacados de uma terrível epidemia do não posso.

Dra. Fé – E quantos casos já foram constatados em seu grupo?

Pastor – São vários. Alguns, porém, estão seriamente atacados e carecem de uma atenção imediata. Estou aguardando as suas ordens para traze-los à sua presença.

Dra. Fé (diz para a enfermeira) – Faça entrar o primeiro.

Primeiro Paciente – Estou doente, doutora. Até pesquisei na internet. Vi que pode ser anemia, doença do sono, muitas coisas! A questão é que não consigo orar. E, se oro, é só pelos meus problemas, minha família, e quando vou tentar orar pela situação do mundo, pelos missionários, pelo avanço do evangelho, eu durmo!

Dra. Fé (colocando o termômetro, toma-lhe o pulso e escuta-lhe o coração) – Bem, primeiramente devo lhe dizer que essa coisa de consultar o “Dr. Google” pode ser perigosa. O melhor é sempre procurar um médico. O seu coração está bastante fraco, pulso lento e temperatura baixa. Há uma fraqueza espiritual geral! (Escreve a receita) Vou dar-lhe uma receita que prontamente o recuperará, estou certa (entrega a receita). Antes de retirar-se, queira, por favor, ler esta receita para maiores esclarecimentos, no caso de qualquer dúvida.

Primeiro Paciente (lê a receita e depois se retira) – A um grama de poder, acrescenta-se meia hora de estudo e uma pitada de interesse pelo trabalho de Deus entre as nações, misturando-se tudo isso a uma quantidade crescente de oração, dia após dia, doe onde doer. Toma-se esta infusão tão logo acordar, e outra antes de dormir. Ao longo do dia, fracionar a dose em diversas porções menores, e tomar sempre que se lembrar. Não tema, não há contraindicações. E para não se esquecer da posologia diária, utilizar lembretes: alarme no relógio ou celular, papeizinhos com anotações na agenda, na porta da geladeira ou do armário. Uma outra recomendação de eficácia comprovada é: inicie as orações orando pelo próximo e pela obra, descendo depois para as questões particulares.

Dra. Fé (manda entrar o segundo paciente) – E você, o que tem?

Segundo Paciente – Não posso me lembrar que devo fazer as leituras diárias da Bíblia, no decorrer da semana.

Dra. Fé (tirando de sua maleta um grande frasco) – Aqui tenho um medicamento já preparado, pois trato de muitos outros casos como o seu. Este sintoma provém da ignorância acerca das necessidades da alma. Você está sofrendo de inanição espiritual. A mesma coisa aconteceria ao seu corpo, se você não tomasse alimentação à hora certa e na quantidade suficiente. Este tônico despertará em você o desejo de ler a Bíblia, o amor a Deus e, sobretudo, um grande desejo de ser um imitador de Jesus e de fazer o que Deus deseja. Tome uma dose diariamente.

Segundo Paciente (Pega o frasco e sai)

Dra. Fé (pedindo para o terceiro paciente entrar) – Você também está doente?

Terceiro Paciente – Sim, doutora. A igreja deseja que eu envie meu casal de filhos para o treinamento missionário. Olha, orar por missões, tudo bem, e contribuir quando posso com uma oferta no culto missionário, vá lá. Mas eu não quero isso para meus dois tesouros. Tenho medo de que sofram, e tenho planos para a vida deles. Sabe quanto pago de colégio particular?!

Dra. Fé Hum... Pode não parecer, mas esta é uma enfermidade severa, silenciosa, cuja raiz pode crescer e alcançar a metástase, envenenando toda a sua vida cristã. É urgente alcançar sua cura! Passe um momento, todos os dias, observando em profundidade a cruz. Observando e refletindo no que ela representa, o sacrifício ali oferecido, oferecido por todos os homens que crerem. Encerre sua meditação diária considerando que os anjos gostariam de pregar a mensagem da cruz por toda a terra, mas isso lhes foi negado, pois contar a boa nova é missão de outros. Advinha de quem? Após isso, tome uma dose de chá de Ponha-se-no-seu-lugar. E tome duas vezes ao dia, após as refeições, uma cápsula do Remédio do Peregrino, para lembrar-se de que estamos aqui de passagem, e nossa pátria, bem como nossa única fortuna e conquistas possíveis, deveriam estar, estão ou só podem estar no céu.

Dra. Fé (dirigindo-se ao quarto paciente depois de fazê-lo entrar) – E a você, o que está acontecendo?

Quarto Paciente – Não posso contribuir financeiramente para minha igreja.

Dra. Fé (enquanto examina os olhos do paciente) – Oh! Tenho tido muitos casos com este mesmo sintoma. Vamos examinar o alcance de sua visão (leva o paciente para a frente do cartaz e começa a apontar as palavras, da maior para a menor).

Quarto Paciente – Estou vendo um pouco.... Quase não estou vendo... Está muito longe... Não estou vendo.

Dra. Fé – Trata-se de uma total miopia espiritual. Há várias coisas que dão origem a esta enfermidade: o egoísmo, a indiferença, ou ainda a ignorância das necessidades do mundo sem Cristo e sem o conforto de sua salvação. Esta receita irá ajudá-lo. Leia-a em voz alta, por favor.

Quarto Paciente (lê a receita e sai em seguida) – Toma-se com regularidade um comprimido do mandamento de Deus: o de dar, no mínimo, a décima parte do que se ganha, para o sustento da obra de Deus, acompanhado de uma dose de oração fervorosa, para que possa estar disponível para fazer a vontade de Deus. Acrescenta-se ainda uma boa quantidade de visão das necessidades do mundo. A esta dose de visão misturam-se algumas pitadas de disposição para renunciar ao comodismo, às conveniências e interesses pessoais, a fim de poder colocar a vida, talentos e bens ao serviço de Deus.

Quinto Paciente (entrando, tímido) – Bom dia doutora. Posso me sentar? (senta-se, encolhido de vergonha). Não sei se meu problema é grave. Mas ele tem me incomodado há muitos anos. Eu tenho vergonha de evangelizar. Muita vergonha. E é mais que isso, é que também não me sinto digno... Aí junta tudo, sabe? E meu negócio é música, doutora, estou sempre tocando nos cultos e ensaios. É minha parte para Deus. Mas sou muito tímido, e a igreja vive criando ideias como evangelismo na praça, no terminal rodoviário; sopão na Cracolândia... Agora começaram com visitas em hospitais, e o irmão Santino quer levantar um grupo de varões para evangelizar em presídios! Deus me livre, já pensou o perigo? Não dá não, eu já ajudo no departamento de música, e na cantina.

Dra. Fé – Seu problema é mais comum do que você imagina. Segundo pesquisas, afeta quase oito em cada dez cristãos. A cura é simples, e envolve alguns procedimentos que já são empregados com sucesso há séculos. Um médico grego muito renomado, o Dr. Lucas, escreveu há dois mil anos, em seu evangelho, palavras curativas. Você deverá mastigá-las todos os dias, ao acordar e antes de dormir, pois são a parte central do tratamento. Você as conhece, mas deixe-me refrescar sua memória: “Se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras, o Filho do homem, igualmente, se envergonhará dele, quando voltar em sua glória e sob as honrarias do Pai e dos santos anjos.” Durante a mastigação, a realização de jejum, mesmo parcial, ajudará na recuperação, junto com o remédio universal, a oração. E, para ajudar a manter o foco no principal, mastigue mais um trecho do livro do Dr. Lucas, em seu capítulo 10, versículos 38 a 42. Seja menos Marta, e mais Maria. Nunca falha!

Pastor – Dra. Fé, estou muito agradecido por suas receitas e estou certo de que esta terrível epidemia do não posso será debelada muito em breve de nossa igreja.

 

II CENA

(Cena como de um culto normal. Chega primeiro o pastor (ou mobilizador), depois entram os membros que estiveram enfermos, trazendo um cartaz onde se lê: EU POSSO, que deverá substituir o primeiro. Enquanto isso acontece, uma leitora apresentará em oculto:)

 

Leitura: Tudo posso:

Ainda que seja odiado – poderei amar.

E se o meu inimigo tiver fome, dar-lhe-ei de comer; se tiver sede, dar-lhe-ei de beber.

Ainda que esteja triste – poderei sorrir.

Ainda que as dúvidas me assaltem – poderei confiar em Deus.

Ainda que as lutas sejam duras e difíceis – poderei vencer.

Ainda que seja pobre – poderei repartir.

Ainda que tudo ao redor seja dificuldade, poderei perseverar até o fim, porque tudo posso em Cristo que me fortalece.

 

Primeiro Paciente: Querido pastor, temos tomado os medicamentos que nos foram receitados pela Dra. Fé, e estamos completamente restabelecidos. Nunca mais voltaremos a dizer: Não posso.

Segundo Paciente: Quando formos solicitados a fazer alguma coisa para o Mestre, vamos repetir: Sim, eu posso fazer!

Terceiro Paciente: Decidimos organizar o grupo do Eu Posso e queremos que também você faça parte desse grupo.

Quarto Paciente: O lema de nosso grupo será: “Posso todas as coisas naquele que me fortalece”.

Quinto Paciente: Temos um lindo corinho. Vamos cantá-lo?

Todos: Sim, vamos.

(Toda a igreja é convidada a cantar junto um corinho adequado à temática da peça.)

Pastor: E para finalizar, ouçamos a poesia: O PRAZER DE SERVIR, de Gabriela Mistral.

 

O Prazer de Servir

 

Gabriela Mistral

 

Toda a natureza é um desejo de serviço.

Serve a nuvem, serve o vento, servem os vales.

Onde haja uma árvore que plantar, planta-a tu;

Onde haja um erro que emendar, emenda-o tu;

Onde haja um esforço que todos evitam, aceita-o tu.

Sê aquele que afasta a pedra do caminho, o ódio dos corações e as dificuldades de um problema.

Existe a alegria de ser são e a alegria de ser justo; mas existe, sobretudo, a formosa, a imensa alegria de servir.

Como seria triste o mundo se tudo já estivesse feito.

Se não houvesse um roseiral que plantar, uma empresa que iniciar!

Que não te atraiam somente os trabalhos fáceis.

É tão belo fazer a tarefa a que outros se esquivam!

Mas não caia no erro, de que só se conquistam méritos com os grandes trabalhos; há pequenos serviços que são imensos serviços; adornar a mesa, arrumar os bancos, espanar o pó.

Aquele é o que critica, este é o que destrói; sê tu o que serve.

O serviço não é tarefa só de seres inferiores. Deus que dá o fruto e a luz, serve. Poder-se-ia chamá-lo assim:

Aquele que serve.

E ele, que tem os olhos em nossas mãos, nos pergunta todo dia:

Serviste hoje? A quem? À árvore? a teu amigo, a tua mãe?

 _____________________________________________

Esta peça foi publicada originalmente na revista Visão Missionária, 1T81, Seção SFM, e adaptada para a União de Treinamento. Publicada posteriormente no livro Coletânea Arco-Íris (JUERP, 1994), de Ursula Regina da Gama Leite, e por fim adaptada por Veredas Missionárias, aumentando seu enfoque missionário.


sexta-feira, 29 de março de 2024

O ABORTO em Frases, Poemas e Reflexões: Antologia em e-book gratuito para download

 

O tema do aborto tem mobilizado mentes, corações e culturas ao longo da história. Nos dias de hoje, tornou-se questão incontornável, transcendendo delimitações sanitárias, sociológicas, políticas e religiosas para inserir-se no centro do debate público.

Temos, ao longo dos anos, editado diversas antologias, dos mais variados escopos e amplitudes. Em sua maioria, antologias poéticas ou de citações. Para execução de tal atividade, é de praxe a aquisição e/ou consulta de livros no gênero, e o leitor deve saber que é relativamente farta a disponibilidade – no caso das citações – de livros de frases em nossas prateleiras. No entanto, transitando, por prazer e a trabalho, por dezenas de antologias e mesmo dicionários de citações, jamais vimos o verbete “aborto” categorizado em obra alguma. Até citações esparsas sobre um tema tão significativo estão curiosamente ausentes deste gênero de literatura. Assim, tomamos para nós a tarefa de, mesmo reféns da brevidade, organizar e disponibilizar a presente obra, de maneira alguma exaustiva, sobre esse assunto vital.

E este pequeno livro é na verdade uma antologia multigêneros: às diversas citações sobre o aborto, unimos uma seleção de poemas e, por fim, uma coleção de pequenos textos de reflexão que ajudarão a iluminar nosso entendimento sobre o assunto.


       Esse é um livro gratuito, que nasce em serviço da sociedade e da melhor das intenções. Convidamos você a ler e também a compartilhar este conteúdo, com quantos achar conveniente.

Para baixar o seu exemplar gratuitamente pelo site Google Drive, CLIQUE AQUI.


LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...